O Spotify vai mesmo comprar a produtora de podcasts Gimlet Media, mas o investimento da empresa nos podcasts não fica por aí. O presidente Daniel Ek anunciou a intenção de adquirir também a Anchor, uma plataforma de distribuição e monetização de podcasts criada em 2015.

O serviço de streaming musical deve pagar cerca de 200 milhões de euros pela Gimlet Media. O valor é o mais elevado alguma vez pago por uma empresa da área e justifica-se com o sucesso da produtora desde a sua fundação, em 2014. A startup americana produz séries com considerável sucesso crítico e comercial, como Reply All ou Crimetown, conteúdos publicitários para marcas da Adobe à Tinder, e já chegou à produção televisiva, adaptando o podcast de ficção Homecoming para a Amazon TV. O lançamento da Gimlet Media foi documentado pelos fundadores no podcast Start Up, o primeiro conteúdo da empresa.

Alex Blumberg quer lançar um negócio. E conta tudo em podcasts

A Anchor surgiu para facilitar a criação de podcasts: da gravação à distribuição (para plataformas como o iTunes, o Soundcloud ou o Spotify), todo o processo pode ser feito dentro da aplicação da Anchor. O serviço gratuito introduz anúncios nos podcasts, pagando depois parte do valor ganho aos criadores do conteúdo original.

Ao apostar tanto numa produtora estabelecida como numa plataforma para podcasters amadores e semi-amadores, o Spotify quer tornar-se na “plataforma de referência para os criadores de podcasts” e simultaneamente no “principal produtor de podcasts do mundo”. Fundamentalmente, a plataforma de streaming quer tornar o podcast um pilar essencial do seu negócio, tanto que a longo prazo Daniel Ek espera que a audição de podcasts represente 20% de toda a atividade no Spotify. Daniel Ek quer garantir um serviço de recomendação que dê aos ouvintes de podcasts a mesma capacidade de encontrar novos conteúdos que o Spotify já oferece para a música.

Para o fazer, o Spotify tem mais 400 a 500 milhões de euros prontos para investir na área durante o próximo ano, entre aquisições adicionais, a contratação de equipas e o desenvolvimento de novas tecnologias. Tudo para tornar o serviço a “maior plataforma de áudio do mundo”. O Spotify já é o segundo maior distribuidor de podcasts à escala global, ultrapassado apenas pelo iTunes (nenhuma das empresas divulga a diferença exata em ouvintes). No seu todo, o Spotify tem 207 milhões de utilizadores mensais ativos, e 96 milhões de subscritores pagos (quase o dobro dos 50 milhões de subscritores pagos da Apple Music, parte do iTunes).

O podcast, um método de distribuição de programas áudio através da Internet, tem crescido nos últimos anos. Ainda assim, o mercado não é tão rentável como as plataformas de vídeo online, popularizadas particularmente pelo YouTube. Nos Estados Unidos, os anúncios em podcasts geraram quase 300 milhões de euros em 2017, um crescimento de mais de 80% em relação ao ano anterior. O mercado publicitário do vídeo chegou a 10 mil milhões de euros no mesmo período.