Rádio Observador

Luanda

Presidente angolano aceita convite de homólogo para visitar Itália

Sergio Mattarella começou esta manhã visita oficial a Angola, onde ficará até quinta-feira. Itália tem uma forte relação empresarial com Angola, tendo sido a primeira a reconhecer-lhe a independência.

O Presidente de Angola, João Lourenço, recebeu esta quarta-feira o seu homólogo de Itália, Sergio Mattarella em Luanda

AMPE ROGÉRIO/LUSA

O Presidente italiano, Sérgio Mattarella, convidou esta quarta-feira em Luanda o seu homólogo angolano a visitar Itália, um convite que foi aceite por João Lourenço. O anúncio foi esta quarta-feira feito pelos dois chefes de Estado numa conferência conjunta, na qual realçaram as boas relações entre os dois países.

O chefe de Estado angolano frisou o facto de se tratar da primeira visita que um Presidente da Itália faz a Angola, depois de sucessivas visitas de chefes de Governo italianos.

Também esta quarta-feira, as partes assinam um Memorando de Entendimento, rubricados entre o Ministério das Finanças de Angola e a Cassa Depositi e Pretiti S.p.A. (“CDP”) da República da Itália. O programa reserva ainda para esta quarta-feira à tarde um encontro do chefe de Estado da Itália e a comunidade italiana. Para quinta-feira, está reservada uma reunião plenária solene da Assembleia Nacional de Angola, na qual Sérgio Mattarella deverá discursar.

Angola e Itália acordam reforço de cooperação além do petróleo

Os Presidentes de Angola e Itália concordaram esta quarta-feira no reforço da cooperação entre os dois países, além do setor petrolífero, em que a italiana ENI tem um papel relevante. Após uma reunião conjunta, os dois chefes de Estado destacaram a amizade entre os dois países e salientaram as oportunidades de cooperação que existem.

Destacamos o papel que a empresa petrolífera ENI vem jogando ao longo dos anos, mas gostaríamos de que empresas italianas de outros ramos de economia tivessem em Angola a mesma presença que tem esta empresa italiana do ramo dos petróleos, precisamos de diversificar o investimento italiano em Angola da mesma forma que precisamos também de passar a conhecer uma maior presença dos investidores angolanos na Itália”, disse João Lourenço

Por seu turno, o Presidente italiano, Sergio Mattarella, considerou uma honra ser o primeiro chefe de Estado italiano a visitar Angola, o que traduz um “sinal da grande amizade de longa data que une” os dois países “em todas as circunstâncias, principalmente na situação difícil da independência de Angola”. O dirigente italiano destacou a cooperação económica com Angola, que podem ser reforçadas em setores como o agroalimentar, infraestruturas, energias e turismo.

Esta colaboração, amizade, é muito mais reforçada pelos contactos de hoje deste encontro, eu tive a ocasião de manifestar ao Presidente João Lourenço a minha grande apreciação pelo seu papel fundamental em África e em Angola em prol da estabilidade e da intensificação da colaboração com os outros países”, referiu o chefe de Estado italiano

No encontro, segundo Sergio Mattarella, foi abordada a colaboração económica entre os dois Estados, sendo consenso que “há muitos setores” nos quais se pode trabalhar “de forma frutuosa” para desenvolver também mais amizade e mais cooperação.

“Também registamos a amizade que foi provada hoje pelo acordo de um Memorando de Entendimento, que torna ainda mais intensos os laços de colaboração”, frisou o Presidente italiano, salientando que os dois países têm “muitas razões e muitos âmbitos de colaboração e de amizade”.

Presidente angolano reúne-se esta quarta-feira em Luanda com chefe de Estado italiano

O Presidente de Angola, João Lourenço, recebe esta quarta-feira o seu homólogo de Itália, Sergio Mattarella, no âmbito da visita oficial a Angola, em que está acompanhado do ministro dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação Internacional, Enzo Moavero Milanesi.

A visita oficial de Sergio Mattarella a Angola, que se prolonga até quinta-feira, inicia-se na manhã desta quarta-feira, com o Presidente italiano a depor uma coroa de flores no Memorial de Agostinho Neto. O programa da visita de Estado prossegue com a reunião de Mattarella com João Lourenço, no Palácio Presidencial, em Luanda, após a qual os dois chefes de Estado prestam declarações à comunicação social. Depois, Sergio Mattarella visitará a Divina Providência, a Fortaleza de São Miguel, onde está instalado o Museu das Forças Armadas.

Na quinta-feira, de manhã, o Presidente de Itália e o ministro dos Negócios Estrangeiros serão recebidos pelo presidente da Assembleia Nacional de Angola, Fernando da Piedade Dias dos Santos. À reunião do presidente do parlamento com o chefe de Estado e o governante italianos sucederá uma sessão solene na Assembleia Nacional.

Desde 1980 que a Itália tem uma forte relação empresarial com Angola, sobretudo no domínio do petróleo, com a petrolífera ENI, em parceria com a Sonangol, a explorar vários blocos em águas profundas no offshore angolano.

A Itália foi a primeira nação a reconhecer a independência de Angola. Foi em 1976, altura em que foram estabelecidas relações diplomáticas. Em novembro de 2017, o primeiro-ministro italiano naquela altura, Paolo Gentiloni, foi o primeiro chefe de Estado de um Governo de um país ocidental a ser recebido por João Lourenço, após a investidura como Presidente da República, em 26 de setembro desse ano.

Nessa visita oficial, João Lourenço afirmou a necessidade de “aprofundar a cooperação económica entre Angola e Itália em vários domínios, entre os quais o energético e na defesa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)