Transportes

Lime fecha ronda de investimento de 310 milhões de dólares para entrar em novos mercados

Plataforma de trotinetes elétricas vai utilizar o investimento para entrar em novos mercados, desenvolver a tecnologia e contratar mais colaboradores. Empresa passa a valer 2,4 mil milhões de dólares.

A empresa chegou a Lisboa em outubro do ano passado e já está presente em mais de 15 países, contando com mais de 34 milhões de viagens

Lime

A startup norte-americana Lime fechou uma nova ronda de financiamento (série D) no valor de 310 milhões de dólares (cerca de 273,71 milhões de euros). O investimento servirá para a plataforma de partilha de trotinetes elétricas entrar em novos mercados, desenvolver a tecnologia e contratar mais colaboradores.

Em comunicado, a startup revelou que a operação foi liderada por vários investidores, incluindo empresas como a Andreessen Horowitz, Bain Capital, Fidelity, GV and IVP e também a Alphabet, empresa mãe da Google. Com este investimento, a Lime passa a estar avaliada em 2,4 mil milhões de dólares. 

A micromobilidade é um setor em rápido crescimento que veio para ficar. Gradualmente, as trotinetes têm integrado o quotidiano das pessoas e a sua forma de viver as cidades. Em 18 meses, a nossa comunidade de utilizadores registou um crescimento superior ao registado por toda a indústria de ride-hail num período de dois anos”, referiu Toby Sun, presidente e cofundador da Lime, citado em comunicado.

A empresa chegou a Lisboa em outubro do ano passado e já está presente em mais de 15 países, contando com mais de 10 milhões de subscrições e mais de 34 milhões de viagens. A questão da segurança e da regulação das trotinetes elétricas, incluindo as da Lime, tem sido um tema bastante debatido. Em novembro, Caen Contee, cofundador da startup, disse ao Observador que a empresa é “muito pró-regulação” e que é necessário “encontrar e resolver os problemas principais que as cidades têm neste momento”. Para isso, a Lime lançou em dezembro um programa de boas práticas para a utilização das trotinetes elétricas e, mais recentemente, anunciou a criação de uma “patrulha” para fiscalizar os veículos.

“Apesar dos planos para o futuro, a plataforma irá continuar a focar-se em questões relacionadas com segurança e colaboração com as cidades em que se insere”, salientou a empresa fundada em 2016.

Nos dois primeiros meses de operação em Portugal, a Lime registou mais de 53 mil utilizadores. De início, foram distribuídas entre 200 a 400 trotinetes elétricas por 90 locais da cidade, para que cada pessoa possa utilizá-las para chegar aos transportes públicos, ao trabalho, a casa ou para passear pela cidade.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cpeixoto@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)