Rádio Observador

Transporte Rodoviário

Subida da importação de usados e idade média dos veículos preocupam ACAP

Em 2018, o número de matrículas de automóveis importados usados equivalia a 33,8% das vendas de novos, tendo sido matriculados 77. 241 veículos usados, diz a Associação Automóvel de Portugal.

Do total de veículos produzidos em Portugal, 97% é para exportação, segundo o balanço anual feito pela ACAP

Inácio Rosa/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O aumento da importação de veículos usados e a subida da idade média do parque automóvel em Portugal foram algumas das preocupações mais referidas esta quinta-feira pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

De acordo com a ACAP, em 2018, o número de matrículas de automóveis importados usados equivalia a 33,8% das vendas de novos, tendo sido matriculados 77.241 veículos usados.

A associação destaca que entre 2010 e 2018, a matrícula de usados aumentou 223%, sendo que de 2017 para 2018 o número de matrículas de importados usados cresceu 17%, ou sejam acima da taxa de crescimento dos automóveis matriculados novos pelas marcas (3%).

Trata-se, na opinião do secretário geral da ACAP, Hélder Pedro, de um “contraciclo”, já que por um lado pretende-se renovar o parque automóvel e reduzir as emissões e depois abre-se a porta a quase cerca de 80 mil veículos usados provenientes de outros Estados-membros.

Em relação ao parque automóvel, Portugal conta, atualmente, com um total de 6,280 milhões de automóveis (dos quais 5,015 milhões são ligeiros de passageiros), sendo o valor mais elevado desde 2001.

“A idade do parque tem vindo a aumentar, em 2012 passou os 10 anos e está hoje nos 12,6 anos”, segundo Hélder Pedro.

“É necessário abater 330 mil automóveis em fim de vida para diminuir a idade média do parque em um ano”, sublinhou o responsável hoje durante a apresentação do balanço do setor automóvel em 2018.

Segundo as contas da associação, esta medida permitiria uma poupança de 164 milhões de litros de combustível e de 230 milhões de euros por ano.

A questão do ‘Brexit’ (saída do Reino Unido da União Europeia) continua a preocupar o setor automóvel, uma vez que o Reino Unido representa mais de 10% das exportações de Portugal, mas, por outro lado, a ACAP acredita que poderá haver “alguma deslocalização da produção” atualmente do Reino Unido para Portugal.

A produção automóvel em Portugal aumentou 68% em 2018 face ao ano anterior, para um total de 294 mil veículos, acentuando a tendência de subida iniciada em 2017, segundo a ACAP.

Do total de veículos produzidos em Portugal, 97% é para exportação, segundo o balanço anual feito esta sexta-feira pela ACAP.

Os principais países de destino são a Alemanha (21,4%), seguindo-se França (15,4%), Itália (12,2%) e Reino Unido (10,7%).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)