Os programadores que permitem que as apps gravem os movimentos e dados dos utilizadores nos iPhone receberam uma mensagem clara da Apple: parem de o fazer. A afirmação surge depois de o TechCrunch ter divulgado que apps como a Abercrombie & Fitch, a Hotels.com ou a Singapore Airlines gravam o que é feito no ecrã enquanto se usa a aplicação.

“Notificámos os programadores e criadores de apps que estão a violar as nossas regras de privacidade e vamos tomar ações imediatas, se necessário”, disse a empresa norte-americana ao mesmo jornal.

“As nossas regras de submissão de aplicações na App Store exigem que as apps peçam consentimento explícito aos utilizadores e, quando gravam o ecrã, mostrem uma indicação clara de que o estão a fazer”, disse ainda um porta-voz da empresa.

Depois de ter feito o aviso, a Apple deu menos de 24 horas para as apps retirarem o código que permite este abuso de dados nas aplicações.

O software que permite que as aplicações tenham esta funcionalidade chama-se Glassbox e também está disponível para o sistema operativo Android, da Google, o maior concorrente do iOS, da Apple. A Google, à semelhança da Apple, afirma que as aplicações têm de ser transparentes quanto à recolha de dados.

Segundo a Glassbox, este software é disponibilizado para permitir que as empresas saibam que erros podem ter nas aplicações e não para a recolha de dados pessoais para outros fins.