O legislador Richard Creagan quer que o Havai seja o primeiro estado norte-americano a proibir a venda de tabaco. Para alcançar esse objetivo, o médico e democrata propõe aumentar a idade legal para o consumo de cigarros para os 100 anos. A notícia foi divulgada pela BBCNews.

Creagan declara que as pessoas são escravas da indústria “ridiculamente má” do tabaco, que produz cigarros para que sejam altamente viciantes, sabendo que contêm substancias nocivas à saúde, acrescentando ainda que os cigarros são o “produto mais letal da história humana”.

A proposta quer um aumento faseado da idade legal para fumar, ou seja, se for aprovado, em 2020 a idade passará para os 30 anos, a seguir sobe para os 40 em 2021, para os 50 anos no ano seguinte, em 2023 aumenta para os 60 e por fim irá atingir os 100 a partir de 2024.

Na maioria dos estados norte-americanos é permitido legalmente comprar e fumar tabaco a partir dos 18 anos. Mas no Havai, desde janeiro de 2017, é preciso ter 21 anos para consumir tabaco.

Richard Creagan acredita que este projeto irá ajudar a melhorar a saúde dos cidadãos do estado, visto que “o tabaco é a principal causa das doenças, mortes e incapacidade do que qualquer outro problema de saúde (…) O estado é obrigado a proteger a saúde pública”, diz.

Em entrevista ao jornal Hawaii Tribune-Herald, Creagan disse: “Nós, como legisladores, temos o dever de fazer tudo para salvar a vida das pessoas. Se não proibirmos cigarros, estamos a matar as pessoas”.

Contudo, o projeto-lei não se aplica a cigarros eletrónicos, charutos, nem a tabaco de mastigar e tem que ser aprovado por uma maioria dos legisladores do Havai e sobreviver à poderosa indústria de tabaco.