215kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

O MEO ajuda-o a poupar, simule aqui.

Sérgio Conceição, e a conversa com Jorge Sousa no final? "Não falo mais de arbitragens até ao final da época"

Este artigo tem mais de 2 anos

No final do encontro, Sérgio Conceição ficou a falar com Jorge Sousa; na flash, a propósito desse momento, disse apenas que não voltava a abordar arbitragens. Sobre o jogo, o resultado foi o pecado.

i

Sérgio Conceição foi falar com Jorge Sousa no final do jogo e ouviu o árbitro durante alguns momentos. Sobre o quê, ninguém sabe

Miguel Pereira

Sérgio Conceição foi falar com Jorge Sousa no final do jogo e ouviu o árbitro durante alguns momentos. Sobre o quê, ninguém sabe

Miguel Pereira

O período de compensação do Moreirense-FC Porto acabou por tornar-se um autêntico carrossel de emoções com reflexo prático no resultado final que até poderia ser maior. Vejamos: Herrera empatou aos 90+2′, houve um lance passível de análise de VAR num choque entre Halliche e André Pereira muito perto do limite da área (90+4′), paragem para assistência aos dois jogadores e um último livre lateral que terminou com uma defesa monstruosa de Jhonathan a remate de Fernando Andrade (90+8′). O 1-1 não voltaria a mexer, os dragões voltaram a perder pontos como visitantes mas a história não ficou por aí.

A compensação que deu o desconto a quem jogou um futebol de poupanças (a crónica do Moreirense-FC Porto)

Ainda antes do agradecimento aos adeptos que voltaram a comparecer em massa em Moreira de Cónegos, Sérgio Conceição foi ao centro do terreno discutir alguma situação com Jorge Sousa e, tendo outros elementos como Brahimi por perto, ouviu explicações do árbitro que está agora a regressar após longa ausência por lesão. Sobre o que falaram, ninguém sabe ao certo e o próprio técnico portista não quis explicar – apesar de ter havido protestos em campo sobretudo em dois lances que poderiam ter dado penálti, sobre Soares e André Pereira; ainda assim, ficou uma garantia lacónica na resposta ao que se tinha passado.

“A partir de hoje não falo de arbitragens. Não falo mais de arbitragens até ao final da época. Podem ter a certeza”, assegurou Sérgio Conceição na flash interview da Sport TV, antes de abandonar essa zona de entrevistas rápidas. “Até ao final da época não vou falar mais da arbitragem, no Porto Canal há um expert para falar de arbitragem. Só tenho a dizer que a minha agenda é o FC Porto e por baixo tenho o nome do excelentíssimo senhor Jorge Nuno Pinto da Costa”, disse depois na conferência. Sobre o encontro, e à semelhança do que já tinha referido na análise ao nulo em Guimarães, o técnico dos azuis e brancos passou ao lado da ausência por lesão de Marega e colocou o enfoque no binómio criação de oportunidades-falta de eficácia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Fizemos uma primeira parte de grande nível, tivemos algumas situações no último terço, principalmente dentro da grande área, mas que precisavam de maior clarividência, mais tranquilidade. Houve porque situações para ir para o intervalo em vantagem no marcador. Na segunda parte não devíamos ter permitido ao Moreirense sair uma ou outra vez com algum perigo, chegaram ao golo numa bola parada, continuámos à procura do golo, fizemos o empate e tivemos mais uma situação para sair daqui como vencedores. Criámos mas faltou eficácia”, destacou. “Tivemos algumas ocasiões para ganhar o jogo de forma tranquila. O treinador do Moreirense dirá que o empate é justo porque o resultado é o que é mas este é o nosso décimo jogo desde o início do ano, que são muitos encontros, e foi o 26.º sem perdemos. É de louvar o que este grupo tem feito”, acrescentou.

“Sem o Marega, tivemos momentos e situações em posse muito interessantes, com o Óliver e o Héctor [Herrera] a aparecer em situações em que normalmente não aparecem. Fizemos a Liga dos Campeões a jogar em praticamente todos os jogos em 4x3x3 e não houve problemas nesse sentido, até fizemos fase de grupos fantástica. Ficaria preocupado é se não tivéssemos o volume de jogo como tivemos”, comentou a propósito da adaptação da equipa ao regresso a um novo sistema sem Marega, antes de deixar uma mensagem de confianças para os encontros que faltam apesar dos três últimos empates como visitante.

“Trabalhamos sempre em cima das coisas que não são positivas no jogo. Somos o FC Porto, somo um clube ganhador. No ano passado liderámos quase toda a época, passámos para trás a faltar dois meses e no final fomos campeões. Daqui a três meses vamos ver onde vamos estar, mas acredito que vamos estar à frente”, concluiu Sérgio Conceição.

“Tendo em conta o resultado, podíamos ter feito melhor, principalmente na finalização. Tivemos oportunidades mas não temos estado felizes nesse aspeto. É algo que temos de melhorar. Não era o resultado que queríamos mas estas fases acontecem. Temos de dar a volta. Marega? É uma questão de rotinas, estamos habituados a ter o Marega mas temos muitas soluções e não foi por isso que deixámos de criar. Este é um momento chave, não estamos habituados a perder tantos pontos e vamos dar a volta por cima”, salientou no final Danilo Pereira, que ocupou esta noite o lugar do maliano na equipa inicial.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.