Sindicatos

Guiné-Bissau. Sindicatos dos professores entregam pré-aviso de greve

A entrega do pré-aviso de greve deixa sem efeito memorando de entendimento assinado em janeiro com governo. Sindicatos continuam a exigir o pagamento de salários em atraso aos professores contratados.

Os professores guineenses estiveram em greve entre outubro e início de janeiro, levando a que milhares de alunos perdessem o primeiro período do ano letivo

TIAGO PETINGA/LUSA

Os três sindicatos dos professores da Guiné-Bissau entregaram esta segunda-feira um pré-aviso de greve para uma paralisação com início na quinta-feira e término a 7 de março.

“Já entregámos o pré-aviso de greve. Na quinta-feira, vamos dar início à greve até 7 de março”, disse à agência Lusa Bungoma Durte Sanhá, porta-voz dos três sindicatos. Segundo o porta-voz, com a entrega do pré-aviso de greve “cai por terra” o memorando de entendimento assinado em janeiro com o governo.

Os três sindicatos continuam a exigir o pagamento de salários em atraso aos professos contratados e novos ingressos, que estão com “10 meses de salários em atraso”. O porta-voz dos três sindicatos disse também que é exigido a aplicação da revisão do Estatuto de Carreira Docente, salientando que foi promulgado quase ao mesmo tempo que a lei da paridade pelo Presidente guineense, José Mário Vaz.

“A lei da paridade já foi publicada no Boletim Oficial (equivalente ao Diário da República) e a revisão do Estatuto de Carreira Docente ainda não”, explicou o sindicalista.

No início de janeiro, os três sindicatos representativos dos professores assinaram com o governo um memorando de entendimento, na presença da sociedade civil, associações de pais e do Presidente guineense, José Mário Vaz.

Um outro porta-voz dos três sindicatos, Domingos de Carvalho, destacou que não tinha sido possível alcançar entendimento em todas as matérias reivindicadas, mas que o governo iria pagar os salários em atraso aos professores contratados e novos ingressos e aceitou fixar um calendário para pagamento de todas as dívidas atrasadas.

Os sindicatos aceitaram em janeiro aguardar pela aplicação do Estatuto de Carreira Docente, que ainda estava em processo de publicação no Boletim Oficial. Os professores guineenses estiveram em greve entre outubro e início de janeiro, levando a que milhares de alunos perdessem o primeiro período do ano letivo.

Na sexta-feira, uma ameaça dos professores de regressarem à greve provocou uma manifestação de estudantes, que culminou em distúrbios e atos de vandalismos, que a polícia, o governo e a sociedade civil consideram terem sido feitos por infiltrados.

Na sexta-feira, perante a ameaça de greve, o governo pagou os dois meses de salários que estavam em atraso aos professores contratados e novos ingressos.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Caixa Geral de Depósitos

Caixa para que te quero

Inês Domingos

Centeno quis a toda a força financiar a Caixa para lá do que seria aparentemente preciso, mas disse no Parlamento que não tem interesse no resultado da auditoria que revelou os desmandos socialistas. 

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
248

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)