Liga dos Campeões

Liga dos Campeões. Treinador da Roma desvaloriza ausências de Marega e Corona

O maliano Moussa Marega falha o jogo por lesão, enquanto o mexicano Jesus Corona fica de fora das opções de Sérgio Conceição por castigo. Eusebio di Francesco diz que eles têm bons substitutos.

Eusebio di Francesco, o treinador da Roma, falava na conferência de imprensa de antevisão do jogo de terça-feira, em Itália, com o FC Porto

ANGELO CARCONI/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O treinador da Roma, Eusebio di Francesco, desvalorizou esta segunda-feira as ausências dos portistas Marega e Corona, para o jogo de terça-feira, em Itália, relativo à primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol.

“Não estão esses dois, mas têm bons substitutos, como o Otávio e o Soares, com características diferentes, mas igualmente fortes”, disse Eusebio di Francesco, que falava na conferência de imprensa de antevisão do jogo com o FC Porto.

O maliano Moussa Marega falha o jogo por lesão, enquanto o mexicano Jesus Corona, que marcou em Roma no triunfo por 3-0 no play-off de acesso à Liga dos Campeões, em 2016/17, ficou de fora das opções de Sérgio Conceição por castigo.

O técnico transalpino considera o FC Porto “uma equipa compacta, dura, que sabe o que quer”, que “ganha muitos duelos defensivos”, pelo que espera “um jogo exigente em termos físicos”. “Vai ser preciso empregar um misto de pernas e experiência. Como costumo dizer, no final da minha carreira a minha língua estava mais comprida e as pernas mais curtas”, disse Di Francesco, recorrendo a uma analogia que costuma utilizar.

O técnico considera que o jogo de terça-feira constitui “uma boa oportunidade para mostrar uma Roma forte”, ainda que o adversário mereça toda a “consideração e respeito”. “O percurso é longo, mas é uma boa ocasião para fazer um bom jogo. Todas as ocasiões são importantes e na Liga dos Campeões ainda mais. Temos de ser ambiciosos”, afirmou Di Francesco.

Questionado sobre o trabalho desenvolvido por Sérgio Conceição no FC Porto, disse que o treinador português, a exemplo do que já tinha feito no Nantes, está a fazer um percurso em ascensão. “[Sérgio Conceição] deu identidade à equipa, acrescentou algo importante. A equipa era um grupo de jogadores e técnicos à procura de um estilo de jogo com qualidade e agora é uma equipa concreta em todos os pontos de vista”, disse.

O FC Porto defronta na terça-feira a Roma, pelas 21h00 locais (20h00 em Lisboa), no Estádio Olímpico, em jogo referente à primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões, com arbitragem do holandês Danny Makkelie.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)