Índia

Mais de 100 mortos em quatro dias após consumo de álcool adulterado na Índia

O distrito de Saharanpur é o mais afetado registando cerca de 60 dos mortos. O álcool está a ser analisado e as autoridades afirmam que os componentes serão conhecidos após investigação.

A polícia deteve nos últimos dias cerca de 300 pessoas em Uttar Pradesh, o estado mais populoso da Índia

STR/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Mais de 100 pessoas morreram desde quinta-feira devido ao consumo adulterado de álcool no norte da Índia, onde foram detidas 300 pessoas, numa campanha para combater o flagelo que atinge sobretudo a população mais pobre.

O distrito de Saharanpur, em Uttar Pradesh, é o mais afetado, registando cerca de 60 dos mortos, disse esta segunda-feira à agência de notícias Efe o diretor-geral adjunto da Ordem Pública da Polícia regional, Anand Kumar.

Ao longo de Uttar Pradesh, o estado mais populoso da Índia, com cerca de 200 milhões de habitantes, a polícia deteve nos últimos dias cerca de 300 pessoas, acrescentou a mesma fonte, que especificou que os componentes do álcool adulterado serão conhecidos após a investigação.

Neste momento o licor ilícito está a ser analisado. Eu não posso dizer de forma conclusiva quais são os seus componentes químicos, mas parece que a presença de pesticidas e outros produtos químicos o tornaram tóxico”, concluiu Kumar.

No estado vizinho de Uttarakhand, o distrito de Haridwar registou até agora 26 mortes em resultado das bebidas adulteradas, fabricadas numa aldeia fronteiriça no distrito de Saharanpur, disse à Efe o presidente da Ordem Pública da Polícia de Uttarakhand, Ashok Kumar.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Índia

É preciso dizer basta

Daniel Nunes de Sousa
124

Numa Índia que se orgulha da sua cultura, centenas de milhares de mulheres dalits (frequentemente chamadas intocáveis), são uma sombra negra a deambular entre as margens da sociedade.

NATO

Os 70 anos da NATO, vistos da Europa


João Diogo Barbosa

Não só o “exército europeu” se tornou um dos temas essenciais para o futuro, como foi possível, pela primeira vez, a aprovação de um Programa Europeu de Desenvolvimento Industrial no domínio da Defesa

NATO

Os 70 anos da NATO, vistos da Europa


João Diogo Barbosa

Não só o “exército europeu” se tornou um dos temas essenciais para o futuro, como foi possível, pela primeira vez, a aprovação de um Programa Europeu de Desenvolvimento Industrial no domínio da Defesa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)