Dívida Pública

Standard&Poor’s piora previsão de evolução de Angola para Negativa

A dívida pública de Angola em percentagem do PIB aumentou significativamente em 2018, em parte devido ao impacto da forte depreciação do kwanza no volume de dívida pública em moeda estrangeira.

A agência de notação financeira Standard & Poor's (S&P) reviu em baixa a Perspetiva de Evolução da economia de Angola, de Estável para Negativa

JUSTIN LANE/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A agência de notação financeira Standard & Poor’s (S&P) reviu em baixa a Perspetiva de Evolução da economia de Angola, de Estável para Negativa, devido ao “significativo aumentoda dívida pública, e manteve o rating em ‘lixo‘.

“A dívida pública de Angola em percentagem do PIB aumentou significativamente em 2018, em parte devido ao impacto da forte depreciação do kwanza no volume de dívida pública em moeda estrangeira”, lê-se na nota que acompanha a divulgação da decisão.

“Estamos a rever a Previsão de Evolução da economia de Estável para Negativa e mantemos o rating da dívida soberana de longo e curto prazo em B- e B; a Previsão de Evolução negativa reflete a possibilidade de uma descida [do rating] se o alto peso da dívida pública tornar as necessidades de financiamento insustentáveis, ou se as pressões orçamentais ou externas levarem a défices gémeos mais prolongados que o previsto”, dizem os analistas da S&P.

No texto, a S&P diz que entre 2015 e 2018 “a dívida pública em proporção do PIB aumentou cerca de 40 pontos percentuais, de 45% para 87%” e acrescenta que Angola deve ter sofrido uma recessão de 1% em 2018, que deverá ser ultrapassada este ano, com um crescimento de 2%.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Educação

Estado-educador e Estado-cultura, em marcha?

Mário Pinto

Não existe uma educação para a cidadania única e institucional. Há várias concepções de cidadania, mesmo como concepções de vida democrática, pois há pluralismo social e cultural, ou moral e religioso

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)