Javier Da Silva, um português de 24 anos, foi detido na segunda-feira pelas autoridades norte-americanas e pode enfrentar acusações pelo rapto e homicídio de Valerie Reyes, uma jovem que desapareceu durante uma semana e foi encontrada sem vida numa mala de pés e mãos atadas à beira de uma estrada em Nova Iorque.

Os procuradores disseram na queixa, segundo a CNN, que o suspeito confessou que teve relações sexuais com a jovem no apartamento dela em New Rochele no dia 29 de janeiro, quando ”a dada altura ela caiu no chão e bateu com a cabeça”.

A CNN detalha que Javier da Silva entrou nos Estados Unidos em 2017 com um visto de turista, mas não abandonou o país no período temporal em que o devia ter feito.

Jovem que achava que ia ser morta foi encontrada numa mala à beira da estrada em Nova Iorque

De seguida, segundo a queixa, Javier pôs fita cola na boca da jovem, atou-lhe as mãos e as pernas e fechou o corpo numa mala de viagem. Conduziu o carro durante algum tempo e largou a mala à beira da estrada, perto de uma floresta.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A família da vítima disse à polícia que, há um ano, Valerie namorava precisamente com um rapaz chamado Javier e que antes de desaparecimento telefonou à mãe em pânico a dizer que ia ser morta. Quando a polícia fez buscas na casa da jovem, os procuradores dizem que encontraram um desenho que correspondia à foto de perfil das redes sociais do suspeito.

Javier foi preso na segunda-feira em Queens, depois de usar um cartão de crédito que pertencia à vítima, disse Robert Berry, da Polícia de Greenwich.

Os procuradores disseram que o cartão de crédito de Valerie já tinha sido usado no dia em que a jovem desapareceu, a 29 de janeiro, para levantar perto de 1000 dólares (883 euros) em New Rochelle. A câmara de vigilância do local mostrou um homem de preto com um capuz, que depois seguiu num carro Honda. O veículo era alugado, e as autoridades conseguiram contactar a empresa de aluguer em Flushing, que revelou que o suspeito reservou o carro durante os dias 28 e 29 de janeiro.

As causas da morte de Valerie Reyes ainda não foram reveladas, e o suspeito permanece em custódia federal e em breve vai apresentar-se perante um magistrado federal.