A pista de testes de Balocco, emblemático circuito de provas do Grupo Fiat Chrysler Automobiles, serviu para os dois pilotos da equipa Alfa Romeo Racing mergulharem por completo no espírito da marca cujas cores vão defender no Mundial de Fórmula 1. À laia de preparação para o campeonato que aí vem, Kimi Räikkönen e Antonio Giovinazzi foram desafiados a testar o Giulietta Veloce, o Giulia Quadrifoglio e o Stelvio Quadrifoglio.

A experiência serviu para evidenciar os dotes de condução dos ases do volante, mas também para sublinhar as qualidades em pista da gama da Alfa Romeo. O novo compacto da casa de Arese evoluiu, sem contudo prescindir do inconfundível estilo italiano e da sua natural predisposição para oferecer emoções fortes. Para mais, tratando-se da versão Veloce – a expressão máxima do carácter desportivo do Giulietta, ou não aliasse funcionalidades próprias da competição a uma estética mais ‘vitaminada’.

Já os Quadrifoglio quase que dispensam apresentações, pois o trevo só é exibido num Alfa com credenciais à altura. E, em Balocco, Giulia e Stelvio não defraudaram. Pelo contrário, fizeram as delícias de Räikkönen e Giovinazzi, que exploraram (à boa maneira de um piloto de F1) os 510 cv de potência máxima e os 600 Nm de binário do 2.9 V6 Bi-Turbo, bloco a gasolina inteiramente construído em alumínio e que foi desenvolvido com o know-how de engenharia da Ferrari.

Veja como o campeão do mundo em 2007 e o italiano Giovinazzi se sentiram em casa na famosa “Pista Alfa Romeo ”, um percurso com 5,6 km que proporciona as emoções típicas de um circuito de F1.