Professores

Governo garante que vai retomar negociações com professores

Garantia do Governo surge depois de professores ameaçarem com greve às aulas do 12.º ano no 3º período. Ministério não esconde a preocupação, mas diz que haverá condições para terminar o ano letivo.

Está marcada para março uma manifestação nacional dos professores

RODRIGO ANTUNES/LUSA

A secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, assegurou, em declarações à TSF que vai retomar o diálogo com os sindicatos sobre a recuperação do tempo de serviço congelado nas carreiras dos professores. E garantiu que os sindicatos serão as primeiras estruturas a serem informadas das datas para a retoma das negociações.

A afirmação da governante surge depois de, na quarta-feira, o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, ter dito aos jornalistas que os professores ponderavam fazer greve às aulas do 12º ano, no terceiro período, comprometendo a entrada no ensino universitário de milhares de alunos, caso o Governo não ceda e continue a congelar o tempo de serviço. O Ministério da Educação não esconde a preocupação mas acredita que haverá condições para terminar o ano letivo. Mário Nogueira frisou que a pressão sobre o Governo tinha de ser feita agora, na reta final da legislatura, criticando o primeiro-ministro por ter menosprezado a hipótese de abertura de negociações.

Já Alexandra Leitão disse na manhã desta quinta-feira que “a negociação não parte do zero. É uma nova negociação, imposta pela lei do Orçamento para 2019, mas a Lei do Orçamento de 2018 foi cumprida e culminou com a aprovação de um decreto-lei que permitia a recuperação de três anos de serviço, o que representou um esforço considerável de aproximação da parte do Governo”.

Está marcada, por enquanto, para março uma manifestação nacional dos professores.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

Despedir os professores todos

João Pires da Cruz
887

A minha proposta é despedir os professores todos e entregá-los a Bruxelas. A escolha dos professores e a sua gestão deve ser feita pelas escolas; o pagamento dos seus salários deve vir de Bruxelas.

Escolas

Como travar o Processo de Elitização em Curso?

Rodrigo Queiroz e Melo
119

O atual sistema prejudica fortemente e condiciona a mobilidade socioeconómica. A maior das ironias é que tenha sido a atual solução governativa a causadora de tamanha desigualdade. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)