Se dúvidas existissem de que a primeira foto do interior do novo Land Rover Defender é muito reveladora daquilo que poderemos esperar da sua versão de produção, o director de Comunicação e Relações Públicas da marca, Richard Agnew, tratou de dissipá-las no Twitter, quando aconselhou o violador do embargo a remover rapidamente a imagem, avisando-o inclusivamente que já tinham sido accionados os meios legais para processá-lo.

Querelas judiciais à parte, concentremo-nos no que interessa: o que nos mostra esta primeira espreitadela ao habitáculo do todo-o-terreno? Ao contrário do que seria de esperar, vemos que esta evolução não se faz na continuidade. O Defender celebrizou-se pela sua capacidade de ir a todo o lado e voltar, sem grandes concessões ao conforto ou à tecnologia. Dito de outro modo, o seu maior encanto residia no facto de ser um jipe rude mas extremamente eficaz. Ora, esse carácter puro e duro parece ter-se perdido nesta nova geração, com o construtor britânico a optar por dotar o modelo com um interior muito sofisticado. É mau? Não necessariamente, mas pode ser um pouco decepcionante para os fãs do icónico TT.

Com um interior muito tecnológico e futurista, o novo Defender parece querer posicionar-se como um produto de vanguarda. Talvez até demais, comparando com o seu antecessor. Nesta nova geração, o jipe britânico troca a imagem que fazia dele uma espécie de fóssil vivo por um ambiente moderno e repleto de tecnologia, como acontece em todos os Land Rover. Só que este não é um Land Rover qualquer, esperando-se que mantenha o mesmo apelo que fez do Defender uma referência…

O painel de instrumentos é digital, enquanto a consola exibe ao centro o que parece ser o mesmo ecrã de 10,25 polegadas que serve outros modelos da marca, incluindo o novo Evoque. Mais relevante, vê-se apenas uma alavanca para a caixa de velocidades (eventualmente, a transmissão automática de oito velocidades da ZF) e nada de redutoras. Outra nota interessante reside nos pedais, onde a inscrição Stop marca o travão e “Go” o acelerador. Legendas para quê? Uma referência ainda para o volante, com um design específico e com o nome do modelo ao centro, o que revela que a Land Rover tem bem presente o peso desta denominação no mercado.

Recorde-se que o novo Defender vai ser montado numa nova plataforma, a Modular Longitudinal Architecture, trocando a tradicional construção de longarinas por um chassi monobloco, pois só assim será possível acomodar a necessária electrificação.