214kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

O MEO ajuda-o a poupar, simule aqui.

Bancos emprestaram no ano passado mais de 20 milhões de euros por dia em créditos ao consumo

Este artigo tem mais de 2 anos

Créditos ao consumo ascenderam em 2018 a 7.354 milhões de euros, mais 10% do que em 2017. Bancos emprestaram 20 milhões por dia, apesar das novas regras mais restritivas.

i

Os novos créditos pessoais somaram 39.998 contratos, já os novos empréstimos para compra de automóvel subiram para 18.046 contratos

ANTONIO COTRIM/LUSA

Os novos créditos pessoais somaram 39.998 contratos, já os novos empréstimos para compra de automóvel subiram para 18.046 contratos

ANTONIO COTRIM/LUSA

No ano passado, os bancos portugueses emprestaram mais de 20 milhões de euros por dia em crédito ao consumo. No total foram emprestados 7.354 milhões de euros em crédito automóvel, créditos pessoais e cartões de crédito, um aumento de 10% face a 2017, quando esse valor tinha ascendido aos 6.682 milhões de euros.

Os dados são do Banco de Portugal (BdP), que em julho do ano passado aprovou novas regras que criam restrições à concessão de novos créditos à habitação e ao consumo devido ao risco do sobreendividamento das famílias. Na altura, o BdP estabeleceu que as famílias apenas poderiam gastar metade do seu rendimento com empréstimos bancários.

De acordo com os últimos dados do banco central — divulgados esta sexta-feira — sobre a evolução dos novos créditos aos consumidores, o valor do novo crédito automóvel ascendeu a 3.120 milhões de euros no ano passado, correspondendo a mais de 42% do total do crédito ao consumo concedido e registando uma subida de 12% face a 2017.

Já o crédito pessoal concedido somou 3.156 milhões de euros, mais 11,8% face a 2017, dos quais 3.069 milhões de euros relativos aos denominados “outros créditos pessoais” (empréstimos sem finalidade específica, empréstimos para o lar, crédito consolidado e outras finalidades, que aumentaram 11%), e 86,7 milhões de euros relativos a crédito pessoal para educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos, cujo valor se manteve estável. Em 5 anos, os créditos pessoais sem finalidade específica (empréstimos para o lar, crédito consolidado e outras finalidades) igualou o crédito automóvel: no final de 2018, estas duas categorias ascendiam a um valor total de  cerca de 3 mil milhões de euros. Entre o crédito automóvel, o que tem mais peso no ano de 2018 é o crédito para usados.

No que respeita aos novos empréstimos através de cartões de crédito, linhas de crédito, contas correntes bancárias e facilidades de descoberto, somaram 1.079 milhões de euros no ano passado, aumentando muito ligeiramente face a 2017.

Considerando apenas os dados do mês de dezembro, divulgados hoje pelo BdP, o montante dos novos créditos aos consumidores aumentou 1,7% em termos homólogos no consumo pessoal, para 253 milhões de euros, e subiu 2,8% no consumo automóvel, para 271 milhões de euros.

Em número, os novos créditos pessoais aumentaram 4,8%, somando 39.998 contratos, e os novos empréstimos para compra de automóvel subiram 1,0%, para 18.046 contratos.

Quanto aos novos empréstimos através de cartões e descoberto, no mês de dezembro aumentaram 3,6% em montante, para 99 milhões de euros, mas diminuíram 4,5% em número, para um total de 76.645 contratos.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.