União Europeia

Músicos portugueses na nova temporada da Orquestra de Jovens da UE

Nas audições, realizadas pela DGArtes em novembro passado no Porto, 380 jovens músicos prestaram provas, tendo sido selecionados 22.

A Orquestra de Jovens da União Europeia foi fundada em 1976 e Portugal está representado desde 1986

Ant

Autor
  • Agência Lusa

Vinte e dois músicos portugueses foram selecionados para a temporada deste ano da Orquestra de Jovens da União Europeia, revelou esta sexta-feira a Direção-Geral das Artes (DGArtes).

Segundo o organismo, foram escolhidos nove instrumentistas efetivos – António Fonseca (contrabaixo), João Vargas (contrabaixo), Lia Melo (viola), Lia Yeranosyan (violino), Mariana Lopes (violino), Miguel Erlich (viola), Pedro Marques (viola), Pedro Ribeiro (trompa) e Sara Ferreira (violino) – e 13 como reservas.

Nas audições, realizadas pela DGArtes em novembro passado no Porto, 380 jovens músicos prestaram provas, tendo sido selecionados 22, tal como aconteceu para a temporada anterior.

A Orquestra de Jovens da União Europeia foi fundada em 1976 e Portugal está representado desde 1986.

A formação integra atualmente 120 músicos, provenientes de todos os países da União Europeia, e é dirigida pelos maestros Vasily Petrenko e Bernard Haitink.

Integrando a orquestra, os jovens músicos podem realizar cursos com professores de orquestras e conservatórios da Europa e andar em digressão.

Este ano, segundo a DGArtes, a digressão de primavera ocorrerá entre os dias 24 de março e 25 de abril e a de verão entre 8 de julho e 19 de agosto, com atuações em Itália, Omã, Áustria, Alemanha, Holanda e Luxemburgo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
União Europeia

Mercados abertos num mundo em convulsão

Cecilia Malmström

Se alguma coisa aprendemos com a última década é que o comércio livre já não é um dado adquirido, pelo que temos de desenvolver mais esforços para manter os mercados abertos para as nossas empresas.

União Europeia

A Europa Social em questão

António Covas

A UE terá de conceber e implementar, por via de uma “cooperação reforçada”, um programa de ação em matéria de espaço social europeu, à semelhança do que se fez com o mercado único ou a moeda única.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)