A eurodeputada socialista Maria João Rodrigues assumiu este sábado que tem vontade de fazer parte da lista de candidatos ao Parlamento Europeu, mas realçou que essa decisão compete aos órgãos próprios do PS.

“Essa decisão compete aos órgãos próprios do PS, não vou pronunciar-me sobre isso, respeito esses órgãos, mas tenho confiança no trabalho que tenho conduzido com centenas de colaboradores”, afirmou aos jornalistas à entrada da Convenção Europeia do PS, em Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto.

Reforçando que a lista completa de candidatos socialistas às eleições de 26 de maio será anunciada na altura própria, a eurodeputada frisou que o PS a conhece “há muito tempo” e sabe que tem pugnado pelos direitos sociais em Portugal e na Europa.

Tenho trabalho feito, tenho orgulho nisso e tenho uma grande equipa comigo a trabalhar nesse sentido”, vincou.

Reforçando ter “orgulho” no trabalho que está a desenvolver, Maria João Rodrigues considerou estar a dar um contributo para a Europa social.

Sobre se manifestou a vontade em continuar no Parlamento Europeu ao secretário-geral do PS, António Costa, a socialista respondeu apenas “estar convicta” do trabalho que tem feito com os seus colaboradores.

“Acabamos de ter uma grande vitória para instaurar um pilar social na Europa, conseguimos traduzir isso em novas leis para a melhoria das condições de trabalho e estamos a alterar a política económico-social. Isto é um trabalho em toda a Europa”, ressalvou.

A socialista recordou que, na semana passada, obteve uma diretiva que vai beneficiar 200 milhões de trabalhadores, portanto, é natural que “tenha orgulho” no trabalho que está a desenvolver com a sua equipa.

Em janeiro, uma assistente parlamentar de Maria João Rodrigues apresentou uma queixa por assédio moral tendo, na altura, a eurodeputada dito aguardar com “tranquilidade” a conclusão da investigação.

Numa declaração escrita enviada à Lusa, Maria João Rodrigues lamentou que a assistente que apresentou a queixa “nunca tenha explicitado divergências de entendimento numa conversa franca, como é próprio duma equipa”.

O secretário-geral do PS apresenta este sábado, durante a Convenção Europeia do partido, o cabeça-de-lista socialista às eleições europeias, que, tudo indica, será o ministro Pedro Marques, a quem caberá encerrar a iniciativa.

Na última reunião da Comissão Política do PS, na semana passada, António Costa recebeu o mandato para anunciar o nome do “número um” socialista às eleições europeias, aguardando-se que o faça na sessão de encerramento da convenção, passando-lhe em seguida a palavra.

Na sessão de encerramento da convenção está ainda prevista a intervenção do candidato do Partido Socialista Europeu (PSE) à presidência da Comissão Europeia, o holandês Frans Timmermans.

A lista completa de candidatos socialistas às eleições de 26 de maio será aprovada no próximo dia 28 de fevereiro, em nova reunião da Comissão Política Nacional do PS.