Rádio Observador

PS

Maria João Rodrigues assume que quer continuar no Parlamento Europeu mas diz que a decisão é do partido

166

A eurodeputada socialista Maria João Rodrigues admitiu que tem vontade de continuar no Parlamento Europeu e passou a bola para o PS. "A decisão compete aos órgãos próprios do PS", disse.

DIOGO VENTURA/OBSERVADOR

A eurodeputada socialista Maria João Rodrigues assumiu este sábado que tem vontade de fazer parte da lista de candidatos ao Parlamento Europeu, mas realçou que essa decisão compete aos órgãos próprios do PS.

“Essa decisão compete aos órgãos próprios do PS, não vou pronunciar-me sobre isso, respeito esses órgãos, mas tenho confiança no trabalho que tenho conduzido com centenas de colaboradores”, afirmou aos jornalistas à entrada da Convenção Europeia do PS, em Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto.

Reforçando que a lista completa de candidatos socialistas às eleições de 26 de maio será anunciada na altura própria, a eurodeputada frisou que o PS a conhece “há muito tempo” e sabe que tem pugnado pelos direitos sociais em Portugal e na Europa.

Tenho trabalho feito, tenho orgulho nisso e tenho uma grande equipa comigo a trabalhar nesse sentido”, vincou.

Reforçando ter “orgulho” no trabalho que está a desenvolver, Maria João Rodrigues considerou estar a dar um contributo para a Europa social.

Sobre se manifestou a vontade em continuar no Parlamento Europeu ao secretário-geral do PS, António Costa, a socialista respondeu apenas “estar convicta” do trabalho que tem feito com os seus colaboradores.

“Acabamos de ter uma grande vitória para instaurar um pilar social na Europa, conseguimos traduzir isso em novas leis para a melhoria das condições de trabalho e estamos a alterar a política económico-social. Isto é um trabalho em toda a Europa”, ressalvou.

A socialista recordou que, na semana passada, obteve uma diretiva que vai beneficiar 200 milhões de trabalhadores, portanto, é natural que “tenha orgulho” no trabalho que está a desenvolver com a sua equipa.

Em janeiro, uma assistente parlamentar de Maria João Rodrigues apresentou uma queixa por assédio moral tendo, na altura, a eurodeputada dito aguardar com “tranquilidade” a conclusão da investigação.

Numa declaração escrita enviada à Lusa, Maria João Rodrigues lamentou que a assistente que apresentou a queixa “nunca tenha explicitado divergências de entendimento numa conversa franca, como é próprio duma equipa”.

O secretário-geral do PS apresenta este sábado, durante a Convenção Europeia do partido, o cabeça-de-lista socialista às eleições europeias, que, tudo indica, será o ministro Pedro Marques, a quem caberá encerrar a iniciativa.

Na última reunião da Comissão Política do PS, na semana passada, António Costa recebeu o mandato para anunciar o nome do “número um” socialista às eleições europeias, aguardando-se que o faça na sessão de encerramento da convenção, passando-lhe em seguida a palavra.

Na sessão de encerramento da convenção está ainda prevista a intervenção do candidato do Partido Socialista Europeu (PSE) à presidência da Comissão Europeia, o holandês Frans Timmermans.

A lista completa de candidatos socialistas às eleições de 26 de maio será aprovada no próximo dia 28 de fevereiro, em nova reunião da Comissão Política Nacional do PS.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)