O túmulo londrino de Karl Marx foi vandalizado duas vezes nas últimas duas semanas. Na mais recente foram escritas expressões como “Doutrina de Ódio” e “Arquiteto do Genocídio” a vermelho, danificando a sepultura do inquilino mais famoso do cemitério de Highgate. O The Independent afirma ainda que uma placa de mármore foi destruída neste ataque “estúpido, ignorante e sem sentido”, afirma a instituição de caridade que gere o cemitério.

Este “ataque” acontece quase um mês depois de um outro ato de vandalismo com um martelo ter danificado o monumento, que atrai centenas de turistas todos os anos. Através da sua conta oficial no Twitter, o cemitério condenou os atos de vandalismo: “O que quer que achem àcerca do legado de Marx, esta não é a forma de se pronunciarem sobre ele”, lia-se nesse post.

De acordo com a associação Friends of Highgate Cemetery Trust, o túmulo do filósofo e intelectual foi alvo de um “ataque deliberado”. Ian Dungavell, o líder da associação, descreveu os danos como sendo “muito perturbadores”.

A polícia britânica não tem qualquer indício de quem poderá ter estado por trás tanto deste ataque como do anterior.

A placa de mármore do túmulo foi usada primeiro na sepultura da mulher de Karl Marx, Jenny von Westphalen, em 1881. Foi transportada para aqui quando os restos mortais do casal foram exumados e re-enterrados numa localização mais proeminente do recinto, em 1954.

Há uma longa história de ataques a este memorial, mesmo tendo em conta o facto de legalmente estar categorizado como um monumento tão importante como os mais destacados de todo o Reino Unido. Em 1970, por exemplo, foram colocadas duas bombas caseiras no monumento que danificaram o mesmo.