Com a saída confirmada este domingo do seu número dois na Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina vai aproveitar para mudar o organograma de governo da autarquia. Desde logo, passando um dos vereadores para o cargo de vice-presidente deixado vago por Cordeiro. Ao que o Observador apurou, o lugar vai ser ocupado por João Paulo Saraiva, até agora Vereador com os pelouros das Finanças, Recursos Humanos e Sistemas de Informação.

Mas essa não será a única alteração. À imagem do que fez António Costa, também Medina vai aproveitar para refrescar o executivo municipal. O até agora vice-presidente detinha os pelouros da Economia e Inovação, Serviços Urbanos e Desporto, o que agora obriga a uma redistribuição de pelouros que vai implicar a atribuição de pastas inclusivamente ao próprio Presidente da Câmara (Medina não tinha pelouros).

A saída de Duarte Cordeiro acaba por resolver um problema a Fernando Medina que tinha como número dois alguém com quem tinha poucas afinidades do ponto de vista da vida interna do partido. São ambos do PS, ambos fiéis a António Costa, mas representam sensibilidades diferentes. Cordeiro, que pertence ao grupo dos chamados “jovens turcos” é muito próximo de Pedro Nuno Santos, tido como potencial rival de Medina numa futura disputa pela liderança do PS.

Agora o vice-presidente passa a ser João Paulo Saraiva, eleito nas listas do movimento independente Cidadãos por Lisboa (de Helena Roseta) que se apresentou a votos coligado com o PS. Saraiva é licenciado em Engenharia Eletrotécnica pela Universidade de Coimbra, já foi Presidente do Instituto Português da Juventude e Diretor-geral da Ordem dos Arquitetos. Está na autarquia desde 2015, sempre como Vereador com os pelouros dos Recursos Humanos e Finanças.

João Paulo Saraiva, vereador com o pelouro das Finanças passa a Vice-Presidente da CML