O Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM) definiu uma estratégica de combate à Hepatite C que prevê erradicar a doença no arquipélago dentro de cinco a dez anos, indicou esta quarta-feira o secretário da Saúde, Pedro Ramos.

“A estratégia do SESARAM é uma estratégia sempre de investimento em recursos, equipamento e tecnologia”, afirmou o governante, durante a apresentação dos testes rápidos para o diagnóstico de Hepatite C, no Hospital Central do Funchal.

Os testes serão utilizados nas unidades móveis de toxicodependência, com a colaboração da Unidade de Tratamento de Toxicodependência e nos Centros Comunitários da região, com a colaboração da Associação para o Planeamento de Família.

“Cerca de três centenas de doentes já foram tratados na Região Autónoma da Madeira”, disse Pedro Ramos, sublinhando que entre 2016 e 2018 foram gastos 4,1 milhões de euros no tratamento de pacientes com Hepatite C.

O secretário da Saúde vincou que o investimento que está a ser feito atualmente vai permitir erradicar a doença dentro de cinco a dez anos.

“A patologia é curável, mas só se tivermos uma estratégia, uma planificação e uma organização entre várias entidades”, enfatizou, realçando que o SESARAM está a “construir” esse caminho.