A Volta a França de 2021 vai começar com um contrarrelógio individual em Copenhaga, permanecendo por mais dois dias na Dinamarca, anunciou esta quarta-feira a organização da prova rainha do ciclismo mundial.

A primeira etapa do Tour percorrerá, numa extensão de 13 quilómetros, as artérias da capital dinamarquesa, que tem investido em políticas de adoção da bicicleta para as deslocações urbanas.

Estão ainda planeados mais dois dias de prova na Dinamarca, com uma ligação entre Roskilde e Nyborg, ao longo de 190 quilómetros, complementada com uma etapa entre Vejle e Sönderborg, num total de 170 quilómetros, que antecederá um dia de descanso, antes da entrada do pelotão em território francês.

A Dinamarca, que recebeu os Mundiais de ciclismo em 2011, é o 10.º país estrangeiro e o mais distante de Paris a receber uma etapa da Volta a França, depois de Holanda, Bélgica, Alemanha, Luxemburgo, Inglaterra, Espanha, República da Irlanda, Suíça e o principado do Mónaco.

O primeiro arranque da competição fora das fronteiras francesas deu-se em 1954, em Amesterdão, na Holanda, enquanto o último aconteceu há dois anos, com a realização de um contrarrelógio individual em Düsseldorf, na Alemanha.

A edição de 2019 da Volta a França vai começar em Bruxelas, na Bélgica, a 6 de julho, a fim de homenagear o 50.º aniversário da primeira vitória do belga Eddy Merckx, vencedor da Volta a França em cinco ocasiões, enquanto Nice será o local de partida em 2020.