É um de quatro desportos propostos pelos organizadores dos Jogos Olímpicos de 2024 à Organização Olímpica Internacional. O breakdance pode juntar-se ao surf, à escalada e ao skate como desportos com possível estreia nos Jogos de Paris. O squash, o xadrez e o bilhar já foram excluídos da competição.

À BBC, o presidente da Comissão Organizadora, Tony Estanguet, considerou que a inclusão do breakdance podia ajudar a tornar o evento “mais urbano” e “mais artístico”. A Organização Olímpica Internacional tem de tomar uma decisão sobre o desporto até dezembro de 2020.

A modalidade esteve presente nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2018, em Buenos Aires, na Argentina. A competição funcionava em “batalhas”: dois dançarinos defrontam-se à vez e é votado um vencedor por um júri. O russo Sergei Chernyshev ganhou a medalha de ouro masculina e a japonesa Ramu Kawai conquistou a feminina.

O breakdance — que também é conhecido por breaking, b-boying e b-girling — é um estilo de dança associado ao hip-hop, funk e soul. Surgiu nos Estados Unidos da América durante os anos 60, sendo popularizado pela comunidade afro-americana. Portugal tem equipas de breakdance, incluindo os campeões mundiais de dança hip-hop de 2016: a Momentum Crew.