Um sinal de “boa-fé”. É esta a razão avançada para a desconvocação da greve nacional de juízes de todas as jurisdições e instâncias, que estava marcada para esta sexta-feira. A Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP), em comunicado, diz que as conversações com o Governo ainda são “inconclusivas”, mas destaca uma “aproximação de posições”.

Apesar deste recuo, a ASJP vai realizar uma assembleia geral amanhã, em Coimbra, com vista a deliberar sobre as conversações que têm decorrido com o Governo.

Na base das reivindicações continua a revisão dos estatutos dos magistrados por parte do Governo e da Assembleia da República. Os juízes pretendem a progressão na carreira e nas respetivas remunerações.

A desconvocação da greve de amanhã não significa o fim das paralisações definidas em novembro do ano passado. ASPJ mantém os restantes 8 dias de greves previstas para o ano de 2019, de entre os quais os três dias no mês de outubro, sem revelar as datas exatas.