Twitter

Twitter quer mudar as interações entre os utilizadores. O novo protótipo já está a ser testado

O cofundador do Twitter, Jack Dorsey, revelou que a empresa está a trabalhar numa nova versão da app. Os utilizadores vão poder participar no teste do protótipo.

O CEO do Twitter Jack Dorsey admitiu que as conversas no Twitter eram ''confusas'' e quer fazer alterações no design para facilitar as interações.

AFP/Getty Images

Enquanto estava a ser entrevistado pela jornalista Kara Swisher, do Recode, por tweets, o presidente executivo do Twitter, Jack Dorsey, percebeu que conversar com alguém na rede social era confuso. Além de o próprio CEO não estar a conseguir perceber as perguntas de Swisher, as pessoas também não estavam a conseguir acompanhar, porque as respostas dele confundiam-se com as interações dos outros utilizadores.

No fim da entrevista, Dorsey chegou a admitir que ”a conversa foi difícil” e que precisava de tornar as interações ”mais coesas e fáceis de acompanhar” para todos os utilizadores. Deixou mesmo a promessa de ”considerar novos formatos” para a rede social que permitissem a troca de tweets entre utilizadores. Pode ver a entrevista no twitter aqui.

Em janeiro, foi lançada a versão beta (em teste) do ”novo” Twitter, a que o TechCrunch teve acesso, mas entretanto esta versão deu um passo atrás e agora é ainda um protótipo que carece de desenvolvimento. Segundo a publicação tecnológica, as alterações vão incluir um novo design nas conversas, para se tornarem mais fáceis de seguir: vai ser possível organizar as interações por cores e as respostas vão ter uma forma redonda. No fundo, o objetivo é tornar as interações mais  parecidas com o chat das Mensagens Diretas, ou seja, as que os utilizadores trocam de forma privada.

O protótipo da app ainda está a ser testado e a empresa quer incluir a participação dos utilizadores para feedback.

Nesta fase, o Twitter quer incluir os utilizadores no teste do novo design. ”Precisamos que vocês façam parte do processo para termos a certeza de que estamos a construir a experiência certa”, disse Sara Haider, gestora de produto do Twitter, numa entrevista ao TechCrunch.

A empresa diz que vai convidar maioritariamente utilizadores ingleses e japoneses para testar o protótipo, e que tanto podem fazer parte da experiência as contas mais antigas como as mais recentes. Quem está interessado em candidatar-se ao teste pode fazê-lo aqui. Se for aceite para participar, vai receber um email com informações sobre os próximos passos.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Desigualdade

Estudar é para todos?

José Ferreira Gomes

Todos os jovens merecem igual consideração e há que evitar oferecer diplomas sem valor futuro no mercado de trabalho. O facilitismo só vem prejudicar os jovens, em especial os socialmente mais frágeis

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)