Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

As academias de futebol de Ronaldo Nazário terão recorrido a práticas ilegais e imorais para crescerem mais rapidamente. A informação é avançada pelo UOL Esporte, citando a cartilha comercial distribuída pelo franchise. As escolas Ronaldo Academy, criadas por Ronaldo Nazário e pelo empresário Carlos Wizard em 2015, estão estabelecidas no Brasil, China, Colômbia e Estados Unidos da América, devendo ser mais de 100 até 2020.

Para garantir a expansão da marca e aumentar as matrículas, as escolas recebiam ordens para levarem a cabo um processo agressivo de recrutamento junto de pais, filhos e estabelecimentos de ensino. A cartilha comercial distribuída em dezembro de 2017 pedia, por exemplo, que os recrutadores mentissem recorrentemente aos pais para agilizar a assinatura de contratos. Deveria ser passada a ideia de que a Ronaldo Academy filtrava os alunos, só podendo matricular-se os melhores, de que existiam poucos lugares disponíveis (“Só resta uma vaga na turma”) ou de que os preços iriam aumentar (“O desconto de 50% na matrícula se encerra hoje”).

As crianças deveriam também ser manipuladas, dentro e fora dos estabelecimentos de ensino. Quando uma escola não autorizava publicidade da Ronaldo Academy era sugerida a utilização de “infiltrados”. A academia era incentivada a oferecer brindes, acessórios e equipamento desportivo a alunos promissores para que estes influenciassem os colegas a juntar-se à escola: “Ofereça qualquer benefício Ronaldo Academy para um aluno dessa escola, sejam materiais desportivos, acessórios, qualquer ferramenta que o aluno leve para dentro da escola e se torne objeto de desejo dos colegas”.

Enquanto um recrutador negociava o contracto com os pais, outro podia aproveitar a oportunidade para recolher os contactos de amigos do jovem jogador, para os contactar posteriormente. “Enquanto converso com seus pais, preenche essa listinha”, sugeria a cartilha como guião de conversa. A publicidade feita diretamente a crianças, incluindo com a oferta de brindes, é ilegal no Brasil desde 2016.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A Ronaldo Academy admitiu que as práticas citadas eram reais, mas esclareceu em comunicado que desde a criação da cartilha teriam havido “atualizações e ajustes”. Uma “nova versão” da compilação de “técnicas e sugestões de vendas” deverá chegar às escolas “em breve”.

O brasileiro Ronaldo Nazário jogou como avançado pelos europeus do Barcelona, Real Madrid, Milan, Inter e PSV. Começou e acabou a carreira no Brasil (em 1993 pelo Cruzeiro e em 2011 no Corinthians), acumulando entretanto 414 golos em 617 jogos. É o segundo melhor marcador de sempre da seleção brasileira (tem 62 golos, apenas superados por Pelé, com 77), com que ganhou por duas vezes o Campeonato do Mundo (1994 e 2002) e a Copa América (1997 e 1998). Numa carreira marcada por várias lesões graves conquistou a Bola de Ouro em 1997 e em 2002 e foi o Melhor Jogador do Mundo para a FIFA por três vezes (1996, 1997 e 2002). O jogador é dono do Real Valladolid, da Primeira Liga Espanhola, e acionista dos Fort Lauderdale Strikers, da MLS, a principal liga de futebol na América do Norte.

Carlos “Wizard” Martins é um empresário brasileiro formado em Ciências Computacionais que fez fortuna com uma rede de escolas de inglês, o Grupo Multi. A empresa foi vendida aos britânicos da Pearson em 2012 por 750 milhões de euros, quando já englobava 2600 escolas. A fortuna de Carlos Martins está estimada em mil milhões de euros, a 86.ª maior do Brasil.