Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foi a 25 de novembro do ano passado que as chamas consumiram a cidade montanhosa Paradise e causaram aquele que foi considerado o incêndio mais mortífero da Califórnia. Morreram pelo menos 85 pessoas e desapareceram 249. Esta sexta-feira, exatamente 101 dias depois da tragédia, apareceu Kingston: um cão de raça akita de 12 anos.

Incêndio florestal mais mortífero do estado da Califórnia já fez 42 mortos em Paradise

O cão separou-se da família quando saltou do camião que esta usava para escapar ao fogo. O El Mundo explica que, após a devastação da cidade no norte da Califórnia, os donos nunca perderam a esperança de encontrar o companheiro de quatro patas. A família espalhou cartazes em busca de Kingston e procurou-o em abrigos para animais de rua.

O encontro entre o cão e os donos aconteceu quando um voluntário de um centro de resgate de animais encontrou o cão na rua. E foi através de um post no Facebook que a associação Friends of Camp Fire Cats descobriu a quem pertencia Kingston. Mais de três meses depois do incêndio, o dono Gabriel Ballejos disse à Agência Associated Press que o cão era “um verdadeiro sobrevivente”. O filho mais novo da família, Maleah, confessou que todas as noites dizia ao pai que precisavam de procurar o animal perdido. Mas como é que o animal sobreviveu durante tantos dias? Não se sabe ao certo, mas os donos suspeitam que o cão tenha comido raposas, porque, mesmo antes do incêndio, já as caçava.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR