Inflação

Inflação recua em janeiro na zona euro e UE e Portugal tem 2.ª menor taxa

A taxa de inflação fixou-se nos 1,4%, na zona euro e nos 1,5% na União Europeia, em janeiro. Portugal e Croácia registaram uma taxa de 0,6%. Grécia teve a taxa de inflação mais baixa.

Na zona euro, a taxa de inflação de 1,4% representa um recuo face aos 1,5% de dezembro, mas um avanço na comparação com janeiro de 2018 (1,3%)

BORIS ROESSLER/EPA

A taxa de inflação anual fixou-se, em janeiro, nos 1,4%, na zona euro e nos 1,5% na União Europeia (UE), com Portugal a registar a segunda mais baixa (0,6%), divulga esta sexta-feira o Eurostat.

Na zona euro, a taxa de inflação de 1,4% representa um recuo face aos 1,5% de dezembro, mas um avanço na comparação com janeiro de 2018 (1,3%). Na UE, a inflação desceu para os 1,5%, face aos 1,6% de dezembro último e de janeiro de 2018.

Segundo o gabinete estatístico da UE, a Grécia registou a taxa de inflação mais baixa em janeiro (0,5%), seguindo-se Portugal e a Croácia (0,6% cada). As taxas de inflação mais altas, por seu lado, observaram-se na Roménia (3,2%), na Letónia (2,9%), na Estónia e na Hungria (2,8%).

Face a dezembro de 2018, a inflação anual recuou em 16 Estados-membros, manteve-se estável em cinco e aumentou nos outros sete.

A taxa de inflação anual em Portugal (0,6%) manteve-se estável face a dezembro, mas recuou na comparação com os 1,1% de janeiro de 2018.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
União Europeia

Mercados abertos num mundo em convulsão

Cecilia Malmström

Se alguma coisa aprendemos com a última década é que o comércio livre já não é um dado adquirido, pelo que temos de desenvolver mais esforços para manter os mercados abertos para as nossas empresas.

Demografia

Envelhecimento e crescimento económico /premium

Manuel Villaverde Cabral

Nada é mais importante para países como Portugal do que o imparável envelhecimento da população e as suas consequências a todos os níveis da sociedade, da saúde ao potencial de crescimento económico.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)