A banda portuguesa Sensible Soccers vai lançar o terceiro álbum, intitulado “Aurora”, no dia 15 de março, sendo divulgado esta sexta-feira o primeiro tema de um registo que apresenta a nova formação do conjunto, sem o guitarrista Filipe Azevedo.

Maior do que qualquer um dos discos anteriores, com dez temas, “Aurora” tem produção de B Fachada e um título que pareceu “lógico porque acaba por transmitir uma ideia de recomeço”, como explicou à Lusa o teclista Hugo Gomes, que compõe o núcleo da banda com Manuel Justo (teclados e sintetizador) e André Simão (baixo e ‘drumpads’), com a companhia de Sérgio Freitas (sintetizadores e teclados) e Jorge “Cientista” Carvalho (percussões) em concerto.

Sensible Soccers. Banda sonora para uma road trip ou para golos de Ronaldo

No final de 2017, depois da digressão de apresentação de “Villa Soledade”, Filipe Azevedo comunicou a sua saída à banda, o que levou a uma reflexão interna do projeto: “Que caminho é que poderia [a banda] ter, uma vez que ele era um elemento preponderante a vários níveis na banda? Por outro lado, também estávamos a perder um instrumento que de certa forma marcava um bocado o som de Sensible Soccers, que era a guitarra”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Decidimos logo nessa altura não substituir a guitarra, não queríamos ter outro guitarrista para lá do Filipe. E propusemo-nos fazer um disco sem guitarras, o que exigiu alguma criatividade da nossa parte, exigiu também que procurássemos soluções noutros instrumentos que não tínhamos utilizado”, afirmou Hugo Gomes.

Com concertos já anunciados para o Cine-Teatro Garrett, na Póvoa de Varzim, no dia 16 de março, e na Culturgest, em Lisboa, no dia 3 de abril, as atuações vão estar concentradas em “Aurora”, “mas, tal como nas fases anteriores da banda, haverá espaço no alinhamento para temas antigos e para todas as fases de Sensible Soccers”, desde o princípio a “Villa Soledade”, passando por “Sofrendo por Você” e “8”.

Questionado sobre se a banda estava preocupada com a sua identidade, depois da saída de Filipe Azevedo (que se seguiu ao baixista Emanuel Botelho, em 2016), Hugo Gomes diz que a questão se colocava “na dose certa”.

“Assim que fomos fazendo as ‘demos’ fomos percebendo que estava lá a identidade de Sensible Soccers. Que aquilo soava a nós. Não tinha guitarra, mas soava a Sensible Soccers. Estava lá o nosso jeito e isso descansou-nos. Era importante que a banda, nesta fase, depois de já ter perdido dois elementos, mantivesse alguma pertinência. Se fosse uma banda completamente nova a soar a outra coisa qualquer, não sei até que ponto faria sentido continuarmos como decidimos continuar”, explicou o músico.

Os membros da banda repartem-se agora por Vila do Conde, Barcelos e Braga, tendo mudado o “centro de estágios” de Fornelos para Barcelinhos, onde André Simão tem uma sala de ensaios com melhores condições do que a utilizada pelo grupo até ali.

Tocarmos num sítio com janelas a olhar para o rio era muito melhor do que estarmos aqui enfiados numa cave como estivemos durante oito anos”, disse Hugo Gomes, entre risos.

Lançado em edição de autor com o apoio da GDA, “Aurora” foi gravado em residência Casa do Soto, em Arouca, sendo hoje divulgado o tema “Elias Katana”.