A dinâmica foi parecida com a da primeira semifinal. Quem viu o Festival na televisão comentou na internet. E o melhor bloco de notas virtual é o Twitter, que serve para atirar juízos sobre as cantigas como funciona para analisar qualquer outro tema derivado do espectáculo televisivo.

Por exemplo, houve quem tentasse analisar a roupa escolhida por NBC, usando as melhores comparações ao seu dispor:

E já que falamos em Manuel Luís Goucha, refira-se aqui que a presença de Cristina Ferreira neste desfilar de opiniões é uma constante, não há volta a dar:

Percebem? Não há volta a dar:

Mas também há sempre pessoas que não entendem bem o que se está a passar e encontram dúvidas em todos os cantos:

As avaliações a canções em particular fizeram bom uso de tudo o que a cultura pop tem para nos oferecer:

Gente mais atente aos detalhes técnicos fez questão de deixar avisos às pessoas da RTP:

Quem não gosta, faz questão de dizer que não gosta, e isso é bonito porque tem tudo a ver com liberdade:

Se a Surma fosse escolhida, o amigo Rui Gonçalves disse, ainda no início da semifinal, que esta seria a sua reação. Deve ter sido:

Pessoas que desistem e que sabem ilustrar bem essa decisão:

Conan Osíris tem sido o nome em destaque nesta edição do Festival da Canção. Já cantou na primeira semifinal, mas nunca é de mais lembrá-lo:

E mais telemóveis:

Pessoas que não lidam bem com os medleys durante a votação:

E alguma violência nos comentários. Há de tudo na internet. DE TUDO:

https://twitter.com/orespectivo/status/1099429945510686720