Meteorologia

Açores mantêm-se sob aviso amarelo até à manhã de domingo devido à depressão Kyllian

A depressão Kyllian, que provocou cerca de uma centena de ocorrências nos Açores durante todo o sábado está a afastar-se do arquipélago, mas todas as ilhas se mantêm sob aviso amarelo.

António Araújo/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A depressão Kyllian, que provocou cerca de uma centena de ocorrências nos Açores durante todo o sábado, está a afastar-se do arquipélago, mas todas as ilhas se mantêm sob aviso amarelo até à manhã de domingo.

“A depressão Kyllian encontrava-se, às 21:00 de hoje (mais uma hora em Lisboa), centrada a aproximadamente a 1.100 km a norte da ilha do Corvo, com uma pressão atmosférica no seu centro de 955 hPa”, adiantou, em comunicado de imprensa, o meteorologista Carlos Ramalho, da delegação dos Açores do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Segundo o meteorologista, nas próximas horas, “a agitação marítima permanecerá elevada, mas com tendência a diminuir gradualmente”.

As ilhas do grupo ocidental (Flores e Corvo) estão sob aviso laranja até à meia-noite, com previsões de ondas de oeste de sete a nove metros de altura significativa, mantendo-se sob aviso amarelo até às 09:00 de domingo.

Também as ilhas do grupo central (Terceira, São Jorge, Graciosa, Pico e Faial) estão sob aviso amarelo até às 9:00 de domingo e as ilhas do grupo ocidental (São Miguel e Santa Maria) até às 06:00, prevendo-se ondas de oeste com seis a sete metros de altura significativa.

As Flores e o Corvo estiveram este sábado sob aviso vermelho, devido às previsões de vento forte, com rajadas que poderiam chegar aos 140km/h, e de agitação marítima, com ondas que poderiam atingir os 20 metros, mas acabaram por registar apenas a queda de uma árvore, segundo o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores.

Segundo o meteorologista Carlos Ramalho, a rajada de vento máxima foi registada em Santa Cruz das Flores e na Horta, com 117 km por hora.

Foi, no entanto, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, que choveu mais, com um registo de 32 litros por metro quadrado em apenas uma hora, entre as 10:00 e as 11:00.

A Proteção Civil dos Açores registou cerca de uma centena de ocorrências no arquipélago desde a madrugada de sábado, na sequência da passagem da depressão Kyllian.

“Em toda a região, registamos 97 ocorrências, sendo de realçar as ocorrências registadas na ilha Terceira, durante o final da manhã, devido à precipitação. Só nesta ilha ocorreram 58 do total das 97 ocorrências”, adiantou, ao final da tarde, em declarações à Lusa, o vice-presidente do Serviço Regional de Proteção Civil, Osório Silva.

Na ilha Terceira, foi necessário realojar temporariamente seis famílias, quatro em Angra do Heroísmo e duas na Praia da Vitória, mas os autarcas estimam que todas possam regressar a casa em breve.

Algumas estradas dos Açores chegaram a estar fechadas ao trânsito, devido derrocadas, inundações e transbordos de ribeiras, mas ao final da tarde já estavam “desobstruídas”.

O Governo Regional encerrou, por precaução, algumas estradas junto ao mar, nas ilhas do Pico, Faial, São Jorge e São Miguel, até à manhã de domingo.

Vários portos nos Açores estiveram encerrados e o vento forte provocou cancelamentos e atrasos nas ligações aéreas.

Segundo o porta voz da companhia aérea açoriana SATA, não se realizaram os voos Lisboa-Pico-Terceira, da Azores Airlines, nem as ligações Horta-Flores-Horta e Terceira-São Jorge-Terceira, Terceira-Graciosa-Terceira e Ponta Delgada-Pico-Ponta Delgada, da SATA Air Açores.

No total, foram afetados cerca de 360 passageiros, que serão reacomodados em voos no domingo.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)