Dark Mode 154kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Coates expulso pela primeira vez na Europa, Keizer pela primeira vez na carreira

Período de descontos teve quase tantas expulsões como minutos. Quase não se jogou – o que motivou críticas pela falta de tempo útil. "Alguma coisa tem de ser feita para mudar", diz Bruno Fernandes.

i

Marcel Keizer foi expulso nos descontos, Bruno Fernandes e adjunto Rodolfo Correia saíram em defesa do holandês

LUSA

Marcel Keizer foi expulso nos descontos, Bruno Fernandes e adjunto Rodolfo Correia saíram em defesa do holandês

LUSA

Depois de uma boa oportunidade logo a abrir a segunda parte por Diaby, desviada para canto por Charles, o Sporting foi com demasiada sede ao pote e ficou exposto às (raras) transições do Marítimo. Num desses lances, Pelágio apareceu bem vindo de trás e acabou por ser carregado por Coates à entrada da área, num lance onde os insulares ficaram a pedir vermelho direto para o central uruguaio. Naquele momento, era certo que o central iria falhar o jogo de seguinte dos leões, na receção ao Portimonense; nos descontos, confirmou essa ausência mas, quando regressar, estará de novo em risco de exclusão.

A equipa que se perde na ilha quando vê uma bóia de salvação à frente (a crónica do Marítimo-Sporting)

Desde que chegou à Europa, em 2011 – onde jogou no Liverpool, no Sunderland e no Sporting –, o internacional sul-americano nunca tinha visto um cartão vermelho. E antes tinha sido apenas uma vez expulso, quando jogava no Nacional de Montevideu, num encontro a contar para a Taça dos Libertadores. Agora, num lance aparentemente inofensivo, o central quebrou essa regra e saiu mais cedo pela primeira vez após tocar Charles quando pedia ao guarda-redes para acelerar a reposição de bola.

Mas se esta foi a primeira expulsão de Coates na Europa, Marcel Keizer também teve a sua expulsão… na carreira: no seguimento do vermelho por acumulação ao uruguaio, o holandês terá dirigido algumas palavras ao árbitro Tiago Martins, que deu ordem de saída ao holandês e também a Nelson Pereira, técnico de guarda-redes do conjunto verde e branco. “Todos em Portugal sabem que temos um treinador muito calmo. Não percebo como se pode expulsar o nosso treinador de forma tão fácil. Alguma coisa tem de ser feita para mudar, não só pelo Sporting, mas pelo futebol português”, argumentou na zona de entrevistas rápidas Bruno Fernandes, capitão leonino e melhor marcador da equipa, após o nulo na Madeira.

“É um resultado negativo. O único jogo que vi do guarda-redes do Marítimo foi a perda de tempo. Foi isso na primeira parte, duas vezes, voltou a ser na segunda. O futebol português é isto. Não foi por isso que perdemos [pontos], devíamos ter feito mais para ganhar, mas o futebol português tem de mudar rapidamente porque a imagem que passa é esta e é isso é muito mau”, defendeu o internacional. “O Sporting tem de jogar em qualquer campo para ganhar. Sabemos que temos uma responsabilidade muito grande e temos de ganhar sempre. A pressão faz parte do dia a dia de quem joga no Sporting”, concluiu.

“A equipa esteve não esteve tão bem na primeira parte como na segunda, onde criámos oportunidade de golo, que infelizmente não concretizámos. Mas a haver uma equipa vencedora seríamos nós. Temos de lamentar esta situação de Marcel Keizer, um treinador super calmo, que não disse nada de mais e que foi expulso sem compreendermos porquê. Esta situação, juntamente com a do Seba [Coates], faz-nos pensar. Outra questão que também nos faz pensar é o tempo útil neste jogo, com sucessivas quedas, atrasos… Não compreendemos. Tantos debates sobre o tempo útil de jogo e as coisas continuam iguais”, salientou Rodolfo Correia, técnico adjunto que passou pela flash interview devido ao impedimento do holandês.

“No final, fui expulso pela primeira vez na minha vida. Dizem que há sempre uma primeira vez. Os árbitros por vezes têm decisões estranhas, mas quem sou eu para julgar o árbitro? Ele optou por isso. Todos os treinadores falam por estar a ser perdido muito tempo [de jogo]. Muitos jogadores fazem por perder tempo. O jogo está sempre a ser parado. Esta é uma vergonha para o futebol e para os bons jogadores”, comentou Keizer mais tarde na conferência de imprensa.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.