Foram 39 anos atrás das grades por dois homicídios que, afinal, não cometeu. Craig Coley, um veterano de guerra que geria um restaurante na California, Estados Unidos, e que tem agora 71 anos, foi condenado em 1978 pelos homicídios de uma ex-namorada de 24 anos e do filho de quatro, mas nunca se conformou com a sentença. Quase 40 anos depois conseguiu sair em liberdade e vai receber uma indemnização de 21 milhões de dólares, ou seja, de cerca de 18,48 milhões de euros.

O crime aconteceu numa madrugada de novembro. Rhonda Wicht, de 24 anos, terá sido violada e depois enforcada com uma corda. O filho foi sufocado na própria cama. Na altura as autoridades concluíram que Craig Coley apresentava ferimentos no corpo e, mesmo, no pénis. E que em casa teria uma t’shirt de uma criança e uma toalha com sangue. Juntou-se o depoimento de um vizinha que garantia ter ouvido uma discussão no apartamento da vítima e que depois o viu pegar na sua carrinha e abandonar o local.

Em 2013, Coley conseguiu que o seu caso fosse reaberto. A polícia da cidade de Simi Valley conseguiu encontrar, nos arredores de Los Angeles, algumas das provas que achavam destruídas. O laboratório público onde tinham sido analisadas as amostras biológicas foi comprado por privados que não destruíram as provas do crime, como determinara o tribunal. Novamente analisadas, foi afastando por completo que houvesse vestígios de ADN de Craig Coley nas duas vítimas. Na mulher havia vestígios de sémen e de saliva, mas o perfil não correspondia ao do homem que há mais de trinta anos cumpria pena de cadeia por duplo homicídio. A polícia também visitou o local do crime e percebeu que o testemunho da vizinha que garantia tê-lo visto não poderia ser validado, porque daquele local não havia visibilidade para isso.

Na altura da acusação, os procuradores pediam mesmo que fosse condenado a uma pena de morte. Esse julgamento acabaria anulado e repetido e o então suspeito acabaria condenado a uma pena de prisão perpétua. No processo agora movido contra a própria cidade de Simi Valley, Craig Coley acabaria por sair igualmente vencedor e ver-lhe fixada uma indemnização ainda mais elevada. Este sábado, como noticiaram vários órgãos de informação, entre eles o The Telegraph e a CNN, foi anunciado o resultado desse processo federal e o pagamento de 21 milhões de dólares. Este valor junta-se aos 2 milhões de dólares que já tinha recebido quando foi libertado em 2017 e aos valores que conseguiu de algumas seguradoras, pelo tempo todo que passou na cadeia injustamente.