Numa altura em que o famoso movimento racista e xenófobo Ku Klux Klan (KKK) voltou a ser tema de conversa — devido ao filme BlacKkKlansman, nomeado para Óscar de Melhor Filme –, eis que o grupo sai do grande ecrã e volta para a vida real. Na semana passada, o pequeno jornal regional do Alabama The Democrat-Reporter chocou aquele estado dos Estados Unidos da América pela mensagem que trazia no seu editorial: “Está na hora do Ku Klux Klan andar por aí outra vez”. Apenas uma semana depois, o jornal muda de diretor. Sai Goodloe Sutton e entra Elecia Dexter — uma mulher negra.

Elecia Dexter é agora a nova editora do jornal regional do Alabama

Elecia Dexter assumiu assim na sexta-feira o The Democrat-Reporter, jornal semanal impresso em Linden. Substituiu Goodloe Sutton, de 79 anos, diretor de longa data do jornal e autor do editorial que provocou repreensões das autoridades, fazendo manchetes nacionais e internacionais.

Sutton, que esteve à frente da publicação nos últimos 50 anos, recusou-se inicialmente a pedir desculpas, dizendo ao jornal Montgomery Advertiser que escreveu o editorial com o intuito de criticar os democratas, que estariam a planear um aumento de impostos no Alabama. Se as declarações já parecem abusivas, Sutton ainda concluiu dizendo:  “Se pudéssemos fazer com que o Klan aparecesse e limpasse Washington estaríamos todos muito melhor”.

Goodloe Sutton não ficou em “bons lençóis” depois do editorial que publicou na semana passada

Declarações que não deixaram outra alternativa a Goodloe Sutton que não retratar-se depois e acabar por sair do comando do jornal. Os proprietários avançaram de imediato para a procura de um substituto e este apareceu no género feminino e de outra etnia, precisamente a odiada pelo KKK. Elecia Dexter, uma mulher negra, chega então como nova diretora, operando uma mudança completa na estrutura do jornal.

Segundo o The Guardian, o The Democrat-Reporter comunicou que Dexter se formou na Eastern Illinois University, tendo “raízes fortes e uma história rica” ​​na área do Alabama, acrescentando que continuará a tradição jornalística do jornal tentando, ao mesmo tempo, dar-lhe um novo rumo. “A Sra. Dexter chega naquele que é um momento crucial para o jornal e podemos ter plena confiança na sua capacidade de lidar estes tempos difíceis”, disse o jornal.