Ambiente

Parlamentos da Macaronésia assumem “tolerância zero” ao plástico que ameaça o mar

Os presidentes dos parlamentos da Madeira, Açores, Canárias e Cabo Verde assumiram uma posição de"tolerância zero" relativamente ao plástico que ameaça os oceanos

M.A.PUSHPA KUMARA/EPA

Os presidentes dos parlamentos da Madeira, Açores, Canárias e Cabo Verde, que compõem a Macaronésia, assumiram esta segunuda-feira na Praia, ilha de Santiago, “tolerância zero” ao plástico que ameaça os oceanos, disse o presidente da Assembleia Legislativa da Madeira.

Tranquada Gomes falava à agência Lusa no final de um encontro entre os presidentes dos parlamentos da Macaronésia e o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, a quem transmitiram o avanço dos trabalhos para as Jornadas Parlamentares Atlânticas, que se realizam no próximo ano em Cabo Verde.

Na manhã de segunda-feira, os presidentes das assembleias legislativas regionais da Madeira, Açores e Canárias realizaram nas instalações do parlamento cabo-verdiano a primeira reunião do grupo de ligação que vai preparar as próximas jornadas.

Segundo Tranquada Gomes, “estas serão jornadas de reflexão, de partilha, de apresentação de soluções”.

“Apesar da pequenez dos nossos territórios insulares, entendemos que, em conjunto, somos maiores. Esta maneira de nós comunicarmos, de apresentarmos soluções, nos conhecendo uns aos outros, é uma mais-valia para o futuro dos nossos arquipélagos”, afirmou.

Nesta reunião, os parlamentares acordaram numa “ideia-força” que diz respeito à “tolerância zero relativamente aos plásticos no território marítimo da Macaronésia”.

“Isso revela que estamos preocupados com o futuro dos oceanos, que, apesar da exiguidade dos territórios, temos um imenso mar pela frente que é preciso acautelar e que, nestas situações, o facto de estarmos unidos é uma vantagem, porque na soma acrescentamos muito, porque há muito mar para partilhar, para defender”, sublinhou Tranquada Gomes.

Reconhecendo que as decisões finais estão a cargo dos executivos, Tranquada Gomes alertou para a responsabilidade dos parlamentos: “O parlamento faz um enquadramento das situações e isso vai obrigar nas próximas jornadas parlamentares a que os parlamentos também adiantem medidas para que os executivos as traduzam no dia a dia dos nossos arquipélagos”.

Na terça-feira, decorre no Mindelo, ilha de São Vicente, a conferência parlamentar sobre “A Macaronésia: laboratório da biodiversidade do Atlântico”, enquadrada nas Jornadas Atlânticas.

Nesta conferência serão debatidos dois módulos com temas relacionados com a oceanografia e a biodiversidade no Atlântico Médio e a transição para a economia azul e turismo sustentável.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ambiente

Menos é mais /premium

Maria João Marques

Pelo que, caríssimos, está na altura de reconhecer que vivemos num mundo com excesso de embalagem, e irmos a correr para um grupo de ‘Viciados em Excesso de Embalagem Anónimos’.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)