Rádio Observador

Reino Unido

Príncipe Harry e Meghan Markle terminam visita a Marrocos que serviu para promover a igualdade de género

O duque e duquesa de Sussex terminaram hoje a visita de três dias a Marrocos. O objetivo foi melhorar as relações entre as duas nações, e teve como foco principal a promoção da igualdade de género

AFP/Getty Images

O príncipe Harry e Meghan Markle terminam esta segunda-feira uma visita de três dias a Marrocos, com o objetivo de melhorar as relações entre as duas nações, já que o Reino Unido quer reforçar relações com países fora da União Europeia.

Esta vai ser, provavelmente, das últimas viagens da duquesa antes de ter o filho. Meghan Markle está grávida de sete meses, e o bebé está previsto que nasça em fins de abril, ou início de maio. Oficiais confirmaram que tiveram atenção aos cuidados médicos que podiam ser necessários durante a visita da duquesa ao país.

Apesar da gravidez, Meghan tem mantido o calendário cheio. Recentemente, regressou de Nova Iorque, onde celebrou o seu baby shower com amigos próximos, incluindo Serena Williams e Amal Clooney.

Na visita a Marrocos, o duque e duquesa de Sussex foram recebidos por um guarda de honra quando aterraram. Ainda que tenham chegado duas horas atrasados, foram cumprimentados por vários oficiais, incluindo o embaixador britânico de Marrocos, Thomas Reilly.

O par ficou hospedado no palácio real do Rei Mohammed VI, e depois de terem chegado à capital de Marrocos, também tiveram contacto com o príncipe herdeiro Moulay Hassan, de 15 anos. A receção teve direito a gastronomia típica, já que foi oferecido ao casal tâmaras e leite com flores de laranjeira, uma tradição dos casamentos marroquinos.

Esta visita, a primeira do casal ao país do norte de África, teve como foco a promoção da igualdade de género. Thomas Reilly descreveu o momento como “muito entusiasmante”, e o Palácio de Kensington disse, antes da visita, que o casal real estaria bastante entusiasmado com a “oportunidade de conhecer jovens marroquinos”. Na página da rede social Twitter, também escreveram que esta seria uma oportunidade para mostrar “trabalho a ser bem feito para promover a educação de raparigas, empoderar jovens e dar apoio a crianças com origens desfavorecidas”.

No domingo, Harry e Meghan visitaram a cidade de Asni, onde conheceram vários estudantes numa escola local, e aprenderam sobre a organização não-governamental “Education for All”, que constrói residências para raparigas entre as idades de 12 e 18 anos.

Meghan Markle numa visita a uma residência de raparigas com idades entre os 12 e os 18 anos, em Asni, Marrocos. (Photo by Tim P. Whitby – Pool/Getty Images)

Esta segunda-feira — o último dia de visita — a agenda foi preenchida com o programa local de ajuda a crianças com necessidades especiais, e também com a visita a uma escola de culinária para crianças.

Para além de todos os momentos de trabalho, também houve tempo para visitar, em Rabat, os jardins andalusos.

O encontro com o Rei Mohammed VI estava reservado para o final da visita. O casal esteve com o rei na sua residência, em Rabat. Foi uma conversa descontraída, mas houve ainda um momento mais formal, quando Harry entregou uma mensagem privada da sua avó, a rainha da Inglaterra, dentro de um envelope.

Princípe Harry e Meghan Markle, no seu encontro com o Rei Mihammed VI, em Marrocos (Photo by Yui Mok – Pool / Getty Images)

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)