Dois bombeiros da corporação de Alenquer acusados de terem ateado vários fogos florestais entre 2017 e 2018 na área deste concelho, no distrito de Lisboa, começam esta terça-feira a ser julgados pelo Tribunal de Loures.

A acusação do Ministério Público (MP), consultada pela agência Lusa, conta que os arguidos, de 21 e 24 anos, que estão em prisão preventiva, prestavam serviço na corporação dos Bombeiros Voluntários de Alenquer: um foi bombeiro voluntário entre 2014 e maio de 2017, mês em que passou a bombeiro profissional, enquanto o outro era bombeiro voluntário há cerca de seis anos.

A acusação descreve que, por razões não totalmente apuradas, os dois bombeiros decidiram atear fogos na área do concelho de Alenquer “para incrementar a ação aos fogos por parte dos Bombeiros Voluntários de Alenquer”. Em alguns dos incêndios um dos arguidos agiu sozinho e nos restantes agiram em coautoria.

Chegados aos locais de ateamento dos fogos, “munidos de meios de ignição como isqueiros e acelerantes de combustão, como gás ou gasolina”, um dos homens permanecia ao volante da viatura, enquanto o outro se dirigia “para o alvo a incendiar, ateando-lhe fogo”.

A acusação descreve que os arguidos terão ateado fogos florestais na tarde de 7 de setembro de 2017, na madrugada de 16 de junho de 2018 e no dia 17 de junho de 2018, havendo ainda uma tentativa de incêndio em finais de julho de 2017.

Os arguidos encontram-se em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional das Caldas da Rainha desde 6 de julho do ano passado. A medida de coação foi renovada em 28 de setembro. A primeira sessão de julgamento está agendada para as 14h00 desta terça-feira.