Abusos na Igreja

George Pell foi suspenso e não pode contactar com crianças, confirma o Papa Francisco

O antigo número 3 da hierarquia da Igreja culpado de abuso sexual de dois menores, está "proibido de exercer publicamente o ministério sacerdotal e de estar em contacto com crianças", garante o Papa.

JOE CASTRO/EPA

O Papa Francisco confirmou esta terça-feira que o cardeal australiano George Pell, antigo número 3 da hierarquia da Igreja Católica que foi considerado culpado de cinco crimes de abuso sexual de dois menores, está “proibido de exercer publicamente o ministério sacerdotal e, regra geral, de estar em contacto, de qualquer maneira, com menores”.

Através de um comunicado de imprensa lido esta manhã pelo porta-voz do Vaticano, Alessandro Gisotti, a Santa Sé lembrou que esta medida já tinha sido aplicada a George Pell pelo bispo australiano do local onde o cardeal reside em junho de 2017, altura em que Pell pediu ao Papa Francisco uma licença das suas funções como prefeito da Secretaria para a Economia do Vaticano, para se poder ir defender em tribunal na Austrália. Agora, a medida foi confirmada pelo Papa Francisco.

O Vaticano diz ainda que a notícia de que Pell foi considerado culpado dos abusos — decisão que foi tomada em dezembro, mas que só foi oficialmente conhecida esta segunda-feira após terminar um embargo sobre as notícias relativas ao caso — é “dolorosa” e “chocou muitíssimas pessoas, não só na Austrália”. “Como já afirmado noutras ocasiões, reiteramos o máximo respeito pelas autoridades judiciais australianas”, afirmou o porta-voz da Santa Sé.

O Papa Francisco vai esperar até ao final do processo para se pronunciar publicamente. O cardeal australiano decidiu recorrer da decisão e o Vaticano lembrou que Pell “reiterou a sua inocência e tem o direito a se defender até ao último grau”. “À espera do julgamento definitivo, unimo-nos aos bispos australianos na oração por todas as vítimas, reiterando nosso compromisso a fazer todo o possível a fim de que a Igreja seja uma casa segura para todos, especialmente para as crianças e os mais vulneráveis”, afirmou.

Em dezembro, o cardeal George Pell foi considerado por um júri como culpado de ter abusado sexualmente de dois menores durante a década de 90, época em que era arcebispo de Melbourne, na Austrália. Foi dado como provado que Pell aproveitou um momento em que dois rapazes de 13 anos, membros do coro da catedral de Melbourne, estavam na sacristia a consumir vinho utilizado para as celebrações litúrgicas para abusar deles.

O cardeal, que em 2014 foi nomeado pelo Papa Francisco para assumir a liderança da recém-criada Secretaria para a Economia — e a quem o Papa confiou a tarefa de pôr as contas da Igreja em ordem depois dos sucessivos escândalos económicos que afetaram o Vaticano —, pediu uma licença em junho de 2017 para poder regressar à Austrália e se poder defender em tribunal. Desde essa altura que se encontra sem autorização para exercer o ministério.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jfgomes@observador.pt
Abusos na Igreja

Uma nova carta-encíclica de Bento XVI 

João Duarte Bleck
217

O texto do Papa emérito Bento XVI sobre os abusos sexuais na Igreja merece ser lido e que sobre ele meditemos pela sua profundidade analítica e elevação teológica. Obrigado querido avô Bento!

Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Liberdades

Graus de liberdade /premium

Teresa Espassandim

Ninguém poderá afirmar que é inteiramente livre, que pouco ou nada o condiciona, como se a liberdade significasse tão só e apenas a ausência de submissão e de servidão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)