Autoridade Tributária

Trabalhadores dos impostos desmarcam greve agendada para quinta-feira

O Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos afirma que a decisão foi tomada após ter recebido um "documento com a proposta inicial do Governo para negociação do diploma de carreiras" .

O sindicato afirma ainda que a proposta enviada pelo Governo "está muito aquém daquilo que são as expectativas" dos trabalhadores da AT

LUSA

O Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI) decidiu esta terça-feira desconvocar a greve e a concentração que tinha marcado para quinta-feira pelo facto de o Governo se ter disponibilizado a negociar a revisão das carreiras.

Esta estrutura recebeu ontem [na segunda-feira] o documento com a proposta inicial do Governo para negociação do diploma de carreiras da Autoridade Tributária e Aduaneira [AT], acompanhada de convocatória para uma reunião com o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais em 7 de março”, refere uma nota emitida pelo STI.

O sindicato acrescentando que “este passo dado pelo Governo levou a que desconvocasse e greve e a concentração”, que estava marcada para quinta-feira.

O STI precisa ainda estar disponível para negociar, mas sublinha que a proposta enviada pelo Governo “está muito aquém daquilo que são as expectativas” dos trabalhadores da AT.

Embora a proposta apresentada seja a base do processo negocial, após uma primeira análise a mesma está muito aquém daquilo que são as justas e legítimas expectativas dos trabalhadores da AT”, refere a mesma nota.

Além do pré-aviso de greve para quinta-feira, o STI marcou uma paralisação para o último dia útil de março (29) e greve às horas extra durante todo o mês de março.

O STI reclama a revisão das carreiras, bem como a recuperação do vínculo por nomeação (retirado no tempo do governo de José Sócrates) e a atribuição do estatuto de órgão de polícia criminal.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Economia

Produtividade: a culpa é da mão de obra?

Fernando Pinto Santos

De quem é a culpa da baixa produtividade do trabalho em Portugal? Da mão de obra? Sim, mas é só um dos fatores. Falta também maior eficiência dos fatores produtivos e maior capacidade para criar valor

Ensino Superior

Bolonha, 20 anos depois

José Ferreira Gomes

Temos um falso sistema de dois ciclos de licenciatura e mestrado porque se está a generalizar a prática de admitir a mestrado estudantes que não concluíram a licenciatura. Estranho? Não em Portugal!

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)