As eleições europeias estão próximas e uma nova polémica está a tomar de assalto o Parlamento Europeu: a filha de Dmitry Peskov, um conhecido porta-voz de Vladimir Putin, é estagiária no órgão europeu desde novembro do ano passado. A notícia foi avançada, esta segunda-feira, pela Radio Free Europe/Radio Liberty  (RFE/RL) que acrescenta que Elizaveta Peskova tem acesso ilimitado a vários documentos do Parlamento Europeu.

Yelizaveta é estagiária do eurodeputado francês Aymeric Chauprade, antigo membro do partido Frente Nacional de Marine Le Pen e defensor da anexação da Crimeia pela Rússia. Em declarações à RFE/RL, Chauprade desvaloriza o assunto e diz que “Peskova é filha de uma importante personalidade da Federação Russa, mas como estudante não tem menos direitos do que outros jovens que integram estágios curriculares”.

Elizaveta Peskova tem 21 anos e é muito ativa nas redes sociais. Foto: Instagram

Essa não é a opinião de vários eurodeputados. Sandra Kalniete, eurodeputada da Letónia, considera a presença da filha do porta-voz do Kremlin como “uma brecha nas regras de segurança do Parlamento Europeu” já que a russa de 21 anos com quase 80 mil seguidores no Instagram tem acesso “às instalações, reuniões e base de dados”. Já Petras Austrvicius, eurodeputado lituano, diz que o estágio de Peskova “envergonha” o Parlamento e acrescenta que não pode acreditar que “o Kremlin põe as mãos nos bolsos e no coração das instituições europeias”.

Mas Chauprade diz que o contrato foi “validado pelo Parlamento e que cumpre todos os requisitos”. De acordo com o jornal espanhol El Mundo, Yelizaveta Peskova ganha cerca de 1000 euros por mês e beneficia de ajudas de custa para deslocações.

Não é a primeira polémica em que o nome de Peskov aparece. O The Guardian avançou, no início deste mês, que a mulher do russo, a ex-Tatiana Navka é suspeita de ter enganado o fisco americano.