Abusos na Igreja

Vaticano abre investigação canónica ao cardeal George Pell, condenado por abuso sexual

O processo pode resultar em sanções, entre as quais a mais grave será a expulsão da Igreja. George Pell vai passar, esta quarta-feira, a sua primeira noite na prisão.

George Pell chega ao Tribunal de Melbourne, onde foi condenado

ASANKA BRENDON RATNAYAKE/AFP/Getty Images

O Vaticano vai abrir uma investigação às acusações de abuso sexual do cardeal australiano, George Pell — mesmo depois de já ter sido considerado culpado por um tribunal de Melbourne, anunciou o porta-voz do Vaticano, Alessandro Gisotti, citado pela agência Reuters.

O processo pode resultar em sanções, entre as quais a mais grave será a expulsão da Igreja e obrigação de voltar à vida laica, como aconteceu com o ex-cardeal norte-americano Theodore McCarrick, destituído em meados de fevereiro na sequência de acusações de abusos sexuais a menores e jovens.

Depois da condenação em primeira instância do cardeal Pell, a congregação para a doutrina da fé vai agora ocupar-se do caso de acordo com as regras estabelecidas pelo direito canónico”, anunciou o porta-voz do Vaticano, Alessandro Gisotti, em comunicado.

Neste caso, o Vaticano não esperou pela conclusão do processo penal cível para abrir o seu próprio inquérito.

Com 77 anos, o cardeal George Pell, que reclama ser inocente e avançou para recurso, irá passar esta quarta-feira a sua primeira noite na prisão em Melbourne depois do veredicto ter sido emitido em dezembro, mas divulgado apenas na terça-feira.

O Vaticano reagiu na terça-feira àquilo que considerou uma “nova dor”, assegurando ter um “profundo respeito” pela justiça australiana, mas lembrando que o cardeal Pell se diz inocente e que tem “direito a defender-se até à última instância”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Abusos na Igreja

Uma nova carta-encíclica de Bento XVI 

João Duarte Bleck
217

O texto do Papa emérito Bento XVI sobre os abusos sexuais na Igreja merece ser lido e que sobre ele meditemos pela sua profundidade analítica e elevação teológica. Obrigado querido avô Bento!

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)