477kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Caos no tráfego mundial depois de o Paquistão ter fechado o espaço aéreo

Este artigo tem mais de 3 anos

Voos cancelados, outros desviados no segundo dia de encerramento do espaço aéreo no Paquistão. Quatro mil pessoas estão retidas em Banguecoque. Os voos suspensos para a Europa já foram normalizados.

Milhares de pessoas ficaram retidas no aeroporto em Banguecoque
i

Milhares de pessoas ficaram retidas no aeroporto em Banguecoque

AFP/Getty Images

Milhares de pessoas ficaram retidas no aeroporto em Banguecoque

AFP/Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Milhares de voos em todo o mundo foram prejudicados depois de o espaço aéreo paquistanês ter sido fechado. É o segundo dia que o Paquistão mantém o tráfego aéreo encerrado em resposta à tensão militar que se intensificou depois de dois aviões de combate indianos terem sido abatidos. Segundo a Thai Airways, companhia aérea tailandesa, os voos entre Banguecoque e Londres, Munique, Paris, Bruxelas, Milão, Viena, Estocolmo, Zurique, Copenhaga e Olso chegaram a estar interrompidos, mas já foram retomados.

Quatro mil pessoas ficaram retidas no aeroporto em Banguecoque, na Tailândia. Embora o tráfego aéreo para a Europa tenha sido normalizado nas últimas horas, os voos para o Paquistão permaneceram cancelados “devido ao súbito encerramento do espaço aéreo paquistanês como resultado da tensão entre a Índia e o Paquistão”. Num comunicado publicado na rede social Facebook, a Thai Airways acrescentou que “os passageiros que possuam bilhetes em rotas afetadas pelo cancelamento dos voos podem alterar o itinerário” sem custos adicionais.

Paquistão fecha espaço aéreo a voos comerciais depois de dizer que abateu dois aviões da força aérea indiana

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A mesma decisão foi tomada pela Singapore Airlines. Na publicação feita no site oficial da empresa, a companhia aérea explicou que dois voos entre Singapura e Londres vão ter de reabastecer no Dubai e em Bombaim. Uma viagem entre Singapura e Frankfurt também vai ter de ser desviada para Bombaim. E outro voo, também com destino a Frankfurt, teve de ser cancelado e os passageiros transferidos para outras companhias aéreas.

Em entrevista à CNN, o especialista em aviação Geoffrey Thomas previu gastos de milhões de dólares para as companhias aéreas: “É um corredor importante e isto é uma séria perturbação, já que todo o tráfego foi empurrado para o sul, acima do topo do golfo Árabe. Não se pode ir mais para o norte porque assim já se está a voar por cima dos Himalaia. E não se pode fazer isso. Estamos presos neste corredor”.

7 perguntas e respostas sobre o conflito entre a Índia e o Paquistão

Uma comparação publicada no Twitter pelo site FlightRadar24, que monitoriza os voos ao minuto e em todo o mundo, ilustra a dimensão do problema. Atualmente, o espaço aéreo por cima do Paquistão está completamente desimpedido à conta da suspensão do tráfego aéreo no país. Há um mês, nenhum voo precisava de ser desviado para o Golfo Pérsico ou de parar na Índia para reabastecer, como mostram as imagens.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.