A procuradoria-geral de Moçambique processou o grupo financeiro Credit Suisse, os três banqueiros que lá trabalhavam quando foi contraída a dívida oculta e ainda um intermediário da construtora naval Privinvest por irregularidades nos contratos.

De acordo com a agência de informação financeira Bloomberg, a ação está a ser interposta no tribunal em Londres e argumenta com potenciais falhas nos contratos comerciais e logística, mas o documento jurídico não apresenta mais informações.

Nem a procuradoria-geral de Moçambique nem o Credit Suisse comentaram a iniciativa, enquanto um porta-voz da Privinvest disse não ter recebido qualquer notificação, acrescenta a Bloomberg.