Governo

“Execução orçamental tem cumprido todas as metas”, diz Mário Centeno

O ministro das Finanças justifica o cumprimento pelo "rigor com que a despesa é executada" e pelo "forte crescimento da economia e das receitas". Receita cresceu 10,4% e a despesa caiu 1,9% em janeiro

O ministro das Finanças, Mário Centeno, vincou que o Governo tudo fará para cumprir as metas

TIAGO PETINGA/LUSA

O ministro das Finanças, Mário Centeno, garantiu esta quinta-feira, em Lisboa, que a execução orçamental portuguesa tem atingindo as metas propostas, sublinhando que não podem ser colocadas em risco estas conquistas.

A execução orçamental tem cumprido todas as metas, desde o início desta legislatura, por duas razões: pelo rigor com que a despesa é executada e pelo forte crescimento da economia e das receitas do Orçamento em geral”, disse Mário Centeno, que falava aos jornalistas após o encontro com o homólogo alemão, Olaf Scholz.

De acordo com o também presidente do Eurogrupo, “estas componentes têm vindo a ser desenhadas pelo Governo, ano após ano, de forma rigorosa (…) e até conservadora, para garantir que as metas são atingidas”.

O titular da pasta das Finanças vincou que o Governo tudo fará para cumprir as metas e que “o Orçamento [do Estado] para 2019 não será uma exceção”.

Questionado sobre a possibilidade de a injeção de mil milhões de euros no Novo Banco, através do fundo de resolução, poder pôr em causa a meta do défice de 0,2%, Mário Centeno referiu que o executivo “vai seguir todos os desenvolvimentos da área com atenção”, notando que “as conquistas muito significativas para todos os portugueses” que foram alcançadas não podem ser colocadas em risco.

O excedente orçamental em contas públicas totalizou 1.542 milhões de euros em janeiro, uma melhoria de 751 milhões de euros face ao período homólogo, anunciou na quarta-feira o Ministério das Finanças.

“A execução orçamental de janeiro em contabilidade pública das Administrações Públicas registou um saldo de 1.542 milhões de euros, representando uma melhoria de 751 milhões de euros face a 2018”, avançou o Ministério das Finanças num comunicado que antecede a publicação da síntese de execução orçamental da Direção-Geral do Orçamento.

De acordo com o ministério, o saldo global é explicado por um crescimento de 10,4% da receita e uma redução da despesa de 1,9%.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)