Partido Trabalhista

Labour expulsa deputado por declarações antissemitas

A decisão inicial era não suspender Chris Williamson do Partido Trabalhista, mas, depois de pressão interna, o deputado foi expulso. Vídeo e discurso de Williamson considerados inaceitáveis.

Chris Williamson foi suspenso do Labour, por ter dado declarações na quarta-feira que, nas palavras de outros deputados, mancharam o nome do Partido Trabalhista

Getty Images

Autor
  • Agência Lusa

As profundas divisões no Labour sobre o antissemitismo vieram ao de cima novamente na quarta-feira, depois de a secretária-geral do Partido Trabalhista, Jennie Formby, ter cedido à pressão interna da fação e ter suspendido as funções do deputado Chris Wiliamson.

Em causa está um vídeo onde Chris Williamson afirma que o seu partido tem sido demasiado leviano para com o tema do antissemitismo, que tem sido alvo de polémica e que já levou, inclusive, deputados a abandonar o Labour.

Williamson recebeu aplausos à medida que prosseguia com o seu discurso, mas nem todos acataram as declarações da melhor forma, inclusive o deputado Tom Watson.

Acho que a resposta do nosso partido é em parte responsável. Na minha opinião, temos recuado muito, temos dado muito terreno, temos desculpado muito”, disse Williamson, citado pelo The Guardian

Aliado próximo de Jeremy Corbyn, líder do Labour, o deputado, contudo, acabou por pedir desculpas na quarta-feira de manhã. “Estou profundamente arrependido e peço desculpas pela minha recente escolha de palavras enquanto falava sobre como o Labour reagiu à luta contra o antissemitismo dentro do nosso partido”. Em vez daquilo que fez transparecer nas suas palavras, Williamson disse que queria frisar o quanto o partido já fez para combater o antissemitismo.

Mas não foi isso que impediu que Williamson não tivesse recebido um “aviso de investigação” sobre o seu “padrão de comportamento”, segundo informou o porta-voz do Labour. Porém, enquanto a investigação estivesse em curso, ele permaneceria como membro do partido, o que levantou suspeitas de uma possível intervenção de Corbyn na decisão de não suspender de imediato as funções do deputado, pela proximidade entre os dois.

Contra as declarações de Corbyn, que em janeiro afirmou a um jornal local ver Williamson como “um deputado trabalhista muito bom e eficaz” e “um ativista antirracista muito forte”, gerou-se uma onda de indignação, tendo sido Tom Watson um dos que levantou a voz perante a revolta.

Nas palavras de Watson, o discurso foi “completamente inaceitável” e “deixa o partido cair em descrédito“, bem como o faz “romper com o seu código de conduta“.

Jennie Formby e Corbyn estiveram sob pressão durante o dia de quarta-feira para decretar a suspensão imediata de Williamson, perante as várias reclamações que surgiram dentro do partido. Isto ao ponto de o comité parlamentar avançar com o seu próprio protesto. Na carta, os trabalhistas pediram que Williamson não voltasse a comparecer às reuniões semanais dos parlamentares do Labour e que fosse suspenso de imediato.

No rescaldo, o deputado Chris Williamson acabou por ver a sua presença no Labour suspensa e disse, na noite de quarta-feira, que pretende agora limpar o seu nome, garantindo que não há provas que possam ser usadas contra ele.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Finanças Públicas

Como evitar um 4º resgate? /premium

Paulo Trigo Pereira

Portugal necessita de mais doze anos (três legislaturas completas) de crescimento económico e de finanças públicas quase equilibradas para sair da zona de risco financeiro em que ainda se encontra.

Brexit

Boris Johnson /premium

João Marques de Almeida

Em Londres, só um louco ou um suicida é que defenderiam o acordo assinado com a União Europeia. Resta saber se os líderes europeus terão a lucidez de reconhecer o evidente: o acordo que existe morreu.

Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)