Qualquer que seja o tema, o anúncio vai ter lugar hoje às 14h00, na Califórnia, ou seja, às 22h00 em Portugal. Como a informação veio do próprio Elon Musk, primeiro havia que esclarecer qual das suas empresas iria dar a novidade, se a Tesla ou a SpaceX. Sim, porque esta última está a desenvolver um novo tipo de motor para os seus foguetões e a preparar-se para enviar a primeira cápsula Dragon com capacidade para transportar seres humanos rumo à Estação Espacial Internacional, pelo que facilmente poderia ser o tema da conversa.

Não foi preciso esperar muito para esclarecer esta dúvida inicial, pois depois de ter anunciado o evento, o próprio Musk afirmou que a surpresa diria respeito à Tesla, em resposta a uma pergunta directa de um dos seus seguidores no Twitter. Mas este esclarecimento estava longe de ajudar a resolver o puzzle, pois tanto pode ser a revelação do Roadster de série e o anúncio do início da produção, como exactamente o mesmo, mas em relação ao camião Semi. Outra possibilidade é a ocasião servir para revelar o início da produção do Model 3 Standard, o tal de 35.000 dólares, que também sabemos estar para breve, ou até mesmo a apresentação oficial do Model Y, o SUV concebido com base na plataforma do Model 3 que vai ser construído nos EUA e na China a partir do início de 2020.

Contudo, e tendo em conta a personalidade de Musk, não é impossível que a conferência de imprensa marcada para hoje seja uma forma de o CEO da Tesla responder à Securities and Exchange Commission (SEC), que solicitou a um juiz que punisse Musk, por ele ter afirmado num tweet, sem antes ser aprovado pela administração a que ele preside e que controla, que a Tesla não produzia carros em 2011 (é do conhecimento geral, pois o que fazia até 2012 era electrificar o Lotus Elise) e que em 2019 deverá atingir um ritmo de produção de 500.000 unidades por ano, ou seja, 10.000 por semana, objectivo com que se comprometeu publicamente perante os accionistas, no final de Janeiro, aquando da apresentação dos resultados de 2018.