Rádio Observador

Lifestyle

Esqueça tudo o que sabe sobre restaurantes de hotéis. No Friends Kitchen há pizza, francesinha vegetariana e tapiocas

190

O Friends Kitchen é o novo restaurante do hotel Holiday Inn em Vila Nova de Gaia, onde a cozinha está à vista de todos e de lá saem pratos clássicos, mas também vegetarianos e veganos.

A cozinha a olho nu é uma das imagens de marca do restaurante. (Foto: Ricardo Castelo)

Ricardo Castelo Observador

Autor
  • Maria Martinho

Não é muito comum vermos mesas grandes para jantares de grupo e pessoas a lanchar ao mesmo tempo que trabalham no computador num restaurante de hotel, mas no Friends Kitchen, que inaugura esta sexta-feira, é mesmo isto que pode acontecer.
Queremos que se quebre finalmente o estigma de ir a restaurantes dentro de hotéis. As pessoas ficam intimidadas, pensam que é caro ou muito formal, com este novo conceito queremos mostrar precisamente o contrário”, explica Tiago Pinto, um dos responsáveis pelo projeto, ao Observador.

A decoração em tons de dourado, as mesas postas com individuais, a playlist de música clássica e a carta recheada de pratos tradicionais portugueses deram lugar a um conceito mais descontraído e informal. “Viramos a casa ao contrário, hoje a aposta recai nas principais tendências gastronómicas”, diz Fábio Rebelo, outra das caras do espaço.

O objetivo é reunir as atenções do restaurante na cozinha aberta, onde a loiça, os ingredientes biológicos e os utensílios estão a olho nu, como acontece em cada casa. As cadeiras com estofos coloridos, os sofás corridos, as mesas em mármore ou em madeira, os verdes e o os candeeiros altos compõem um ambiente confortável, onde apetece estar e não apenas passar. Mas vamos ao que interessa: a comida. A carta do Friends Kitchen está disponível num horário alargado, de manhã à noite, e é mesmo capaz de agradar a gregos e troianos.

Tosta de ovos Florentine

RICARDO CASTELO/OBSERVADOR

Tapiocas doces e salgadas, panquecas com vários toppings gulosos, open sandwiches com ovos mexidos, benedict ou florentine são algumas sugestões para começar bem o dia. Se o tempo para almoçar é escasso, opte por um prego em bolo do caco, uma pizza low carb, um wrap de atum, uma organic bowl ou um hambúrguer de alheira ou salmão. Caso tenha mais tempo, não deixe de experimentar uma das seis variações de bifes de vaca, a francesinha vegetariana ou o risoto de bacalhau, uma das novidades.

Na hora da sobremesa dirija-se à mesa junto à cozinha e sirva-se. A tarte de maçã com gelado de baunilha, o bolo de chocolate recheado de framboesa e mousse de lima ou a tábua de queijos acompanhados com doce de abóbora são apenas alguns pecados que vão chamar por si. Durante a tarde quem manda é o lanche da avó, composto por bolos caseiros e torradas que combinam tanto com bebidas quentes, como chás e capuccinos, ou bebidas frias, como sumos de fruta e smoothies.

Para saborear refeições mais compostas comece com um cogumelo Portobello recheado com queijo chèvre e creme balsâmico ou umas amêijoas à Bulhão Pato. No universo dos peixes, o destaque vai para o arroz de tamboril tradicional, com gambas e coentros, e para os filetes de polvo com arroz de tomate malandro. Nas carnes, o Chateaubriand grelhado com tomilho e alecrim, servido com molho bearnês, batatas e legumes, e o naco de vitela maronesa são as estrelas da companhia.

O restaurante que integra o Holiday Inn Porto-Gaia, nascido em 2004, tem ainda menus infantis, serviço de take away e um brunch disponível todos os dias, entre as 10h30 e as 16h, onde por 15€ pode deliciar-se com uma taça de iogurte com fruta e granola, uma tosta fria de abacate ou uma tosta quente com ovos mexidos, uma panqueca com uma cobertura à sua escolha e uma bebida fria ou quente.

O Friends Kitchen tem espaço para 62 pessoas, um bar onde pode começar a noite de barriga cheia e a intenção é que exista rotatividade de pratos no início de cada estação.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)