Um dia depois da histórica cimeira entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, em Hanói, no Vietname, onde Donald Trump e Kim Jong-Un terminaram o encontro sem alcançarem nenhum acordo, os pais do estudante norte-americano que morreu depois de ter estado preso em território norte-coreano divulgaram um comunicado.

Na nota emitida esta sexta-feira, Fred e Cindy Warmbier responsabilizam o regime da Coreia do Norte e o seu líder pela morte do filho: “Temos sido respeitosos durante todo o processo. Agora devemos falar. Kim [Jong-un] e o seu horrível regime são responsáveis pela morte do nosso filho Otto”.

O estudante norte-americano que esteve preso durante um ano e meio na Coreia do Norte, e que morreu poucos dias depois de regressar a casa, em 2017, terá morrido por “falta de oxigénio e de sangue no cérebro”, dizia a autópsia ao corpo de Otto Warmbier, citado pela agência Reuters.

No mesmo comunicado divulgado esta sexta-feira pela organização não-governamental norte-americana Committee for Human Rights in North Korea, os pais de Otto vão mais longe: “Kim e o seu horrível regime são responsáveis por crueldade e desumanidade inimagináveis. Nenhuma desculpa ou elogio vão podem mudar isso”.

Otto Warmbier foi preso na Coreia do Norte em 2016 e condenado a 15 anos de trabalhos forçados, por ter arrancado um poster de propaganda norte-coreana de um hotel.

O jovem norte-americano, que estudava na Universidade da Virgínia, acabou por morrer poucos dias depois de ter regressado aos Estados Unidos, devido a uma queda ou pancada que aconteceu mais de um ano antes da sua morte, concluiu o médico legista que analisou o corpo.