O Youtube tomou três grandes medidas para proteger as crianças, depois ser descoberta uma rede de comentários de pedófilos que levou à suspensão de publicidade no site. Num comunicado de imprensa, a gigante americana anunciou aquilo que vai mudar e afirmou que ia continuar a sinalizar e a denunciar.

Eis as três grandes medidas:

Desativação de comentários em vídeos com menores de idade

Na última semana, a equipa do Youtube retirou de milhões de vídeos onde apareciam crianças a opção de deixar um comentário. A plataforma vai continuar a analisar um conjunto signifiticativo de vídeos para saber se tem de aplicar a mesma medida. Alguns produtores de conteúdos (os utilizadores que publicam vídeos no Youtube) vão continuar a ter autorização para usar as caixas de comentários, mas a estes canais será exigida moderação máxima, assim como a outros de baixo risco. Estão incluídos neste grupo vídeos de família ou vídeos de youtubers com notoriedade.

Lançamento de um novo sistema de classificação de comentários

Este sistema é mais sofisticado do que o anterior e procura remover todos os comentários suspeitos que violem as políticas do Youtube. O processo de seleção de comentários não afeta o potencial de divulgação dos vídeos. A equipa da companhia americana, afirma que, antes do sistema entrar em ação, já tinham sido removidos centenas de comentários.

Ações penais contra criadores de conteúdos que causem danos à comunidade

Todos os canais que tenham vídeos que possam pôr em risco as crianças vão ser encerrados. O Youtube já acabou com alguns. Servem de exemplo todos aqueles que incitam os jovens a fazer desafios perigosos.

Tal como refere a BBC, alguns criadores reagiram às novas medidas do Youtube com desagrado, criticando a hipótese de o fim dos comentários poder prejudicar o crescimento dos canais.

Mas Andy Burrows, da Sociedade Nacional para a Prevenção da Crueldade sobre as Crianças (NSPCC), discorda e diz que o anúncio do Youtube representa um “passo importante”. Burrows refere ainda que “os criminosos estão a distorcer vídeos do Youtube para a sua própria gratificação sexual, usando-os para contactar com outros predadores sexuais e usando a secção de comentários como montras para de sites de imagens de abuso infantil”.