Jair Bolsonaro publicou esta quarta-feira um vídeo com teor obsceno gravado durante os festejos do Carnaval no Brasil, como forma de criticar os excessos que foram cometidos na maior festa brasileira. “Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro. Comentem e tirem suas conclusões”, escreveu o Presidente brasileiro no Twitter.

No vídeo publicado pelo líder brasileiro, é possível ver três rapazes em cima de um autocarro a dançar, quando um deles coloca o dedo no próprio ânus e, de seguida, outro jovem urina na cabeça do outro. Inicialmente, o vídeo podia ser visualizado automaticamente por todos os que têm acesso à conta de Bolsonaro, o que gerou de imediato várias críticas, mesmo de apoiantes, pelo teor das imagens e pelo facto de toda a gente conseguir visualizá-lo. “Bolsonaro, a minha neta de seis anos tomou conhecimento dessa cena no seu twitter. Ela e outros milhões de crianças cujos pais o seguem. Quero ver como o Presidente da República vai explicar o que elas viram”, escreveu um utilizador do Twitter em resposta à publicação.

Algumas horas depois, o vídeo passou a ter visualização restrita, ou seja, primeiro o Twitter avisa o utilizador que a publicação pode ter material sensível e só depois, caso o mesmo utilizador carregue em “ver”, é que a rede social permite visualizar o vídeo. Depois da publicação e de causar algumas reações negativas, Jair Bolsonaro questionou ainda: “O que é um golden shower?”, uma prática sexual que se reflete no mesmo vídeo.

As imagens, interpretadas como uma crítica à festa favorita dos brasileiros, foram visadas por vários utilizadores, que passaram a utilizar a hashtag “Impeachment Bolsonaro” (“Destituição de Bolsonaro”) que está a liderar os tópicos mais comentados do Twitter na manhã de hoje. Os utilizadores da rede social lançaram uma campanha online a pedir um julgamento político contra Bolsonaro, já que, segundo a lei brasileira, “proceder de maneira incompatível com a dignidade, honra e decoro” está entre os crimes contra a probidade na administração pública e poderia levar à “perda do cargo de Presidente”.

Bolsonaro, alvo de críticas satíricas no Carnaval, provocou uma intensa controvérsia no Brasil por publicar este vídeo, de caráter obsceno e não adequado para todos os públicos. “Muitos desfiles de rua do Carnaval brasileiro tornaram-se o que você vê”, continuou o Presidente brasileiro na legenda do vídeo.

O autor do vídeo não é conhecido, mas informações do jornal Folha de S.Paulo indicam que as imagens terão sido recolhidas num bloco de rua da cidade de São Paulo, na segunda-feira.

Bolsonaro declarou-se um fervoroso defensor da família tradicional brasileira durante a sua campanha eleitoral e tem forte relações, conhecidas publicamente, com as igrejas evangélicas. Desde que venceu as eleições presidenciais, o Presidente brasileiro recorre às redes sociais para manter a relação com os eleitores, através de publicações que exaltam o papel da família tradicional na sociedade e com críticas a movimentos sociais que lutam a favor da liberdade sexual e contra o racismo.

Diversos utilizadores das redes sociais também comentaram a publicação e questionaram a posição do chefe de Estado em divulgar imagens pornográficas, embora houvesse quem defendesse a mensagem.